Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2010

Só me resta imaginar....

Hmmm quantas vezes sonhei...quantas vezes imaginei...
Esses teus lábios macios tocarem os meus, nem sei se realmente são macios, nunca os senti, nunca lhes toquei nesta tosca realidade em que escrevo agora, mas gosto de imaginar que sim... brincas com a minha língua, brinco com a tua e mordo-te o lábio... tu sorris para mim

Hmmm quantas vezes sonhei...quantas vezes imaginei...
Deitada na minha cama fecho os olhos e sinto-te... as tuas mãos tocam-me, as pontas dos teus dedos percorrem-me o corpo todo... literalmente...deixando-me quente, a ferver de desejo... passo as minhas mãos nas tuas costas e cravo as minhas unhas ao mesmo tempo que me tocas o mais fundo possível... se é que me entendes

Hmmm quantas vezes sonhei...quantas vezes imaginei...
Encher o teu corpo de beijos... brincar com ele... ouvir-te arfar e respirar sofregamente...de prazer... agarras-me nas coxas, com força...quase enterras os teus dedos na minha pele e puxas-me para ti... mordes-me o pescoço, arrastas as tuas mãos d…

09/12/2010 - um dia para esquecer

chove lá fora
a minha alma e o meu coração estão numa espécie de temporal
Hoje ouvi um música que diz "segura na minha mão", e eu pergunto, e quando não há ninguém a que possamos pedir para o fazer?
continua a chover lá fora
a minha cabeça está no meio de um tornado de ideias
há pessoas que não mudam, realmente
já não sei o que é verdade e o que é mentira
para ser sincera nem sei se quero saber.
as lágrimas não caem, sinto uma angustia enorme presa dentro de mim.

Questionário Proust parte 2

16 - Quais são os seus heróis?
R: Madre Teresa, Bono (U2), Martin Luther King, entre outros mais...

17 - Quais são os seus heróis predilectos na ficção?
R: Simba, d'O Rei Leão.

18 - Que qualidade(s) mais aprecia num homem?
R: Inteligência.

19 - E numa mulher?
R: Idem 18.

20 - Que dom da natureza gostaria de possuir?
R: saber cantar.

21 - Qual é para si a maior virtude?
R: A bondade natural das pessoas, sem nenhum tipo de interesse, algo que hoje já quase não existe.

22 - Como gostaria de morrer?
R: A dormir.

23 - Se pudesse escolher como regressar, quem gostaria de ser?
R: O Presidente da República.

24 - Qual é o seu lema de vida?
R: Não sigo nenhum.

25 - Qual seria a maior tragédia?
R: Perder todas as pessoas que amo de uma vez.

26 - Qual o defeito mais fácil de perdoar?
R: Todos, quando se gosta realmente, perdoa-se.

27 - Sua actividade preferida é...
R: Ouvir música.

28 - Qual é a sua palavra preferida?
R: Saudade, é a mais bonita da língua portuguesa.

(I only know him) In The Dark - JoJo

Uma das musicas com a qual mais me identifico. Dedico esta letra a fase da minha vida da qual fizeste parte L.G.M.
Ps: e já agora é a melhor música da JoJo!



This ain't the first or last time
We'll meet up this late at night
To let our fate intertwine
Casually I'd rather be
Detach from all tragedy
This don't need to be defined

[Pre-Chorus]
And I know that it's wrong
I do I do
Baby keep holding on
I do I do
Yeah, I know that it's wrong
I do
When the sun comes up, I'll be gone

[Chorus]
I only know him in the dark
I only know him in the dark

Try to stay desensitized
Keep my feelings out of mind
My body won't be denied
Never took this road before
Love was always at the core
Of anyone I've been with before

[Pre-Chorus]
And I know that it's wrong
I do I do
Baby keep holding on
I do
Yeah, I know that it's wrong
I do
When the sun comes up, I'll be gone

[Chorus]
I only know him in the dark
I only know him in the dark

Shadows across your face
Your lips a familiar taste
Stay focused, …

Questionário Proust parte 1

Acho este questionário bastante interessante, principalmente quando queremos conhecer um pouco melhor uma pessoa, mas num curto espaço de tempo. Então decidi publicar as questões e as minhas respostas.

1 - O que é para si a felicidade absoluta?
R: Não existe, o que existe são momentos de felicidade absoluta. Mas ninguém é totalmente feliz.

2 - Qual considera ser o seu maior feito?
R: penso que ainda está para acontecer, mas poderá ser em breve.

3 - Qual a sua maior extravagância?
R: Sair de casa de propósito só para ir comprar chocolate.

4 - Que palavra ou frase mais utiliza?
R: exacto ou exactamente.

5 - Qual o traço principal do seu carácter?
R: Timidez, o que às vezes provoca algumas confusões com anti-socialismo.

6 - O seu pior defeito?
R: ui tantos... sou impulsiva demais às vezes.

7 - Qual a sua maior mágoa?
R: questões familiares.

8 - Qual o seu maior sonho?
R: "Viver" em cima de um palco.

9 - Qual o dia mais feliz da sua vida?
R: quando soube que tinha passado nos pré-requisitos do cu…

Apenas mais um desabafo...

Rodeei-me das pessoas erradas, num momento errado da minha vida. Vivi coisas que preferia não ter vivido, pois levaram-me a ganhar medo, medo de continuar a viver, medo de voltar a confiar nas pessoas em geral, mas principalmente na espécie masculina. Pensei que nunca mais voltaria a sentir vontade, a desejar algo ou alguém; é incrível como um simples erro nos pode levar ao abismo quando não estamos preparados para as suas consequências.
Senti repugnância, tanta e de maneira tão violenta que chegava a ficar enjoada e enojada, sempre que recordo, porque não é fácil esquecer, sinto um aperto tão forte dentro do peito que me faz derramar mil lágrimas.
Sei que ainda hoje me é difícil sentir uma atracção, por mínima que seja, quando acontece é quase como se fosse uma vitória sobre o medo. Recordar custa tanto que tive de parar de escrever para poder deixar as lágrimas caírem.
Naquele momento da minha vida, vindo do nada, chegaste tu… mais um, pensei eu, com conversas de deitar fora assim q…

Carrossel (7º cap.)

Estranha mudança foi aquela, as conversas já não eram as mesmas...
Isabel queria acreditar que era tudo excesso de trabalho, Daniel não tinha razões para lhe mentir, mas era inevitável a dor que lhe causava todo aquele desprezo repentino. Por vezes a conversa nem passava do simples "olá tudo bem?". Procurou Gui, contou-lhe o que tinha acontecido naquela noite e perguntou-lhe o que ele achava.
- Parece-me que ele está a fazer de propósito, em todo o caso, se ele diz que é por ter trabalho a mais, não tens como saber se é verdade, estás longe! Não sei que te dizer.
- Pois, isso é verdade. Custa-me acreditar que ele seja assim... desses que tem o que quer e depois foge!
- Também a mim, estavas tão contente; não gosto de te ver assim triste novamente.

Mais uns dias se passaram e Isabel ainda menos compreendia, nuns Daniel parecia extremamente preocupado e atencioso; noutros mal falava. Ela estava prestes a desistir de tentar compreender quando conheceu o amigo dele. Tiago, era o seu …

Lágrimas, serão em vão?

Não sei se mereces, não sei sequer se te importas, para dizer a verdade, não sei nada! Não sei nada para além desta dor que trago no peito, destas palavras presas na garganta que quase me sufocam, mas que, por alguma razão, não as consigo libertar!
Não sei o que sinto, não sei o que penso, não sei o que me deixa assim... se é a falta de ti, ou se é a falta de mim.
Não sei porque em tempos fui e não o sou hoje. Não sei porque tenho esta ânsia de gritar, não sei porque não o faço, talvez seja o medo de falhar.
Não sei porque busco certezas na incerteza que é esta vida. Não sei porque busco felicidade nesta terra perdida...

Sinto-me encurralada, encarcerada dentro de mim própria. Tenho tanta coisa para dizer, mas tudo fica cá dentro, depositado num cofre do qual não encontro a chave, é nessa altura que elas saem... Escorrem lágrimas no meu rosto, porque não consegui, porque não foi suficiente, porque mais uma vez não estive à altura, porque estás longe, porque eu nunca estive perto...

Perco…

Silêncio

O silêncio assusta-me, porque nele consigo ouvir todos os demónios. O silêncio conforta-me, porque nele sinto-me calma. Cada vez mais sinto vontade de me refugiar nele, cada vez mais tenho medo de estar sozinha com ele. Saturada de todas as insónias que me atormentam assim que deito a cabeça na almofada, todas as noites; cansada de todos os pesadelos que me assolam, todos os dias de manhã.

Farta de querer sentir vontade e não a ter.
Quem julga que é fácil, acha que é preguiça, não, eu digo, é apenas falta de vontade de viver.
Farta de procurar sentido para a minha vida e não o encontrar.
Talvez não tenha mesmo sentido algum, talvez eu até mereça tudo isto, por mais que não queira acreditar.
Farta de sentir falta de um abraço quando não o tenho.
Farta de sentir as lágrimas as escorrerem pela cara, por nenhum motivo aparente.

Cansada de tentar encontrar uma justificação para tudo isto; podia simplesmente voltar a trás no tempo e voltar a ser quem era. Ah se fosse assim tão fácil! Seria tão …

A vida está morta!

Meu corpo vagueia pelo mundo, vivo porque respiro, porque sangue me corre nas veias. Pior que uma morte cerebral, é a morte daquilo que se julga imortal. Sinto minha alma dilacerada, como se meu corpo andasse só por andar. Não há prazer em nada daquilo que eu prezava. A vida está morta, porque nela já não vale a pena viver.

Carrossel (6º cap.)

Isabel sentia-se tonta quando entrou no carro depois de terem saido da discoteca. Não tinha noção de onde estava, mas sabia que não estava no caminho para ir para casa. Daniel dizia algo, mas Isabel não conseguia compreender. Chegaram finalmente à porta de um prédio, quando saiu do carro sentiu as suas pernas cederem. Daniel ajudou-a a subir as escadas até ao quarto andar, abriu a porta de casa e disse:
- Estás demasiado bêbada para ires para casa sozinha de transportes, hoje ficas aqui.
- Está bem!
O quarto era grande, tinha uma das paredes pintada de preto, as outras três eram bordô. A cama tinha a cabeceira encostada a parede preta, em frente encontrava-se a secretária com o computador, noutra parede tinha uma estante com livros e cds.
Os lençoís estavam frios, Isabel deitou-se ao lado de Daniel, este não resistiu... passou-lhe a mão pela cara e voltou a beijá-la, desceu até ao pescoço, continuou pelo peito. Passava as mãos pelas pernas de Isabel enquanto a beijava. Entretanto Isabel …

"Say what you need to say"

Hoje é um daqueles dias nostálgicos, em que tudo me vem à memória, todas as saudades me remoem! Dói, dói não te poder dizer o quanto te gosto, o quanto te queria ter por perto. Sei que não vais acreditar, tudo para ti tem de ter uma explicação, mas o amor não se explica... sente-se!
Entranha-se de uma tal maneira, que nos envolve a alma como se de uma teia se tratasse. Quero fugir mas não consigo, quanto mais corro contra o pensamento de ti, mais ele se apodera de mim. É terrível, preparaste tudo, construiste a jangada que me levava até ti, para logo de seguida a destruires.
Brincaste com o fogo e agora foges porque não te queres queimar, e quem queima sou eu, ardo lenta e dolorosamente. As chamas consomem a minha alma e eu nada posso fazer!

Carrossel (5º cap.)

Isabel tinha consciência de que deixara para trás um tipo de vida que não queria mais. Encontrara finalmente alguém que a fazia sentir bem, com quem conseguia ter conversas inteligentes, divertidas e, principalmente, que a faziam esquecer tudo o que aconteceu.
Sabia que ainda não estava completamente bem, mas decidiu que aquele era o caminho que devia tomar para se recuperar.

Finalmente conheceram-se pessoalmente, costumavam sair para a mesma discoteca, então decidiram que seria esse o local para onde iam. Daniel foi buscar Isabel à estação dos comboios do Cais Do Sodré. Apesar de o dia até ter sido quente, a noite estava húmida e fria, a humidade do rio entranhava-se nos ossos de Isabel, que se sentiu bastante confortável ao entrar para dentro do carro. Algo fez com que Isabel pensasse que nunca mais iria esquecer aquela noite de Março, enquanto bebia o café. Após uma conversa agradável no café, sairam e dirigiram-se para a discoteca.

A música estava óptima, o ambiente também, o álco…

Carrossel (4º cap.)

- Desculpa aquela reacção no outro dia!
- Não faz mal, eu percebi!

Tinham passado três meses, era já Outubro, embora não parecesse pois o clima não era propriamente de Outono. Isabel fora tomar café com Gui, tinha novidades para lhe contar. Dias antes enquanto estava a navegar na internet para passar o tempo, ligou o messenger e apareceu-lhe um pedido para adicionar um contacto. Ficou relutante ao inicio, era um rapaz, ficou com medo que só estivesse a adicioná-la pela mesma razão que todos os outros. No entanto, depois de alguns minutos a deliberar, decidiu aceitar o pedido. Nem todas as pessoas podem ser iguais, o mundo estaria perdido se assim fosse, pensou Isabel. Esperou que o rapaz fosse falar com ela, este por sua vez pediu desculpa e explicou o porquê de a ter adicionado (aparentemente o contacto de Isabel apareceu nas suas sugestões).
Pareceu bastante educado, o que fez com que Isabel não se arrependesse de ter aceite.
- Falámos de tudo um pouco, da faculdade, das saídas, de ond…

é complicado!

Parece-me tão estranho a mim, quanto a ti, nunca acreditei que isto pudesse realmente acontecer, sempre achei imaginação das pessoas! Mas pelos vistos não é, ou pelo menos eu não o sinto dessa forma. Como posso eu justificar o facto de ter sido invadida por uma vontade quase inexplicável de te beijar poucos minutos depois de te ter visto? Se disseres que é loucura, sim, talvez seja, mas quando paro para pensar em ti perco-me de tal maneira que por vezes até me esqueço de onde estou, como se viajasse para um sitio muito mais acolhedor.
Por achar ser impossivel, tentei esquecer este assunto, mas foi em vão. Nunca fui pessoa de esconder os meus sentimentos, mas confesso que a tua frieza me deixou relutante demais; não consigo guardar para mim durante mais tempo. Não vou dizer que te amo, nem que estou apaixonada por ti simplesmente porque acho descabido, embora às vezes sinta vontade. Mas gosto de ti, como há muito tempo não gostava de alguém. Se eu ainda não te conheço, não é por falta d…

Carrossel (3º cap.)

Encontraram-se ao pé do Coreto, parecia simpático, era giro, a sua alcunha era o nome de um jogador de futebol devido às suas parecenças. Foram-se sentar num dos muitos bancos em frente ao rio, ali ficaram a conversar. A conversa ficou distorcida... entretanto ele beijou-a, sem aviso e sem permissão. Ela deixou, desde que não houvesse nada mais que aquilo. Ele perguntou se ela queria que a levasse a casa, ela assentiu, mais tarde desejou não tê-lo feito. Nas escadas do prédio, ela não queria, tentou impedir...

Isabel acorda, encontrava-se no seu quarto, deitada na sua cama e eram apenas 5h da madrugada. Suspirou de alívio, fora apenas mais um dos muitos pesadeos que a atormentavam de vez em quando. Perguntava-se se alguma vez iriam parar, tinha esperanças que sim. Finalmente adormeceu outra vez.

Carrossel (2º cap.)

Isabel sentia-se suja, como se algo peganhento estivesse agarrado a seu corpo e não conseguisse tirar, tomou banho uma e duas e três vezes, esfregou a pele com tanta força que esta tinha ficado vermelha. Não queria mais sentir aquilo, sentir aquilo no seu corpo e, pior, na sua alma, pior do que sentir o seu corpo sujo, sentia a sua alma invadida, possuída, dilacerada...
Sentiu-se tremer com um calafrio, abriu os olhos num repente, encontrava-se deitada no chão do passeio ribeirinho no braços de Gui. Via tudo desfocado, conseguia ver a cara de Gui meio deformada a tentar dizer-lhe algo. Depois de alguns segundos tudo ficou mais nitido e conseguiu ouvir o seu melhor amigo perguntar se estava bem, ao que ela respondeu com outra pergunta: - O que aconteceu?
Tinha desmaiado do nada, seu corpo ficara frio, tremia e gemia como se estivesse a ter um pesadelo.
E estava, mas um pesadelo bem real, aquelas imagens não lhe saiam da cabeça, a única maneira de sairem era....
NÃOO!! Gritou Gui, pondo-se …

Carrossel (1º cap.)

Era Verão, a noite estava agradavelmente quente, ideal para passear
à beira rio fugindo do rodopio da cidade. Isabel encontrava-se em casa sozinha, era fim-de-semana e os seus pais tinham ido para a terra, mas ela não pôde. Não sabia o que fazer, andava de um lado para o outro tentado arranjar algo para se entreter e por momentos apagar aquelas imagens da sua cabeça. Era escusado, não conseguia! Deitou-se na cama, os seus cabelos longos e castanhos ficaram espalhados sobre a almofada coforme ela deixou cair a cabeça de forma brusca. Isabel não tinha mais que 1,60m, não era excessivamente magra, embora toda a gente lhe dissesse que precisava engordar, bem mas aos olhos de todos os rapazes, ao que parecia, estava muito bem assim.
Estava farta, lembrou-se então de perguntar ao seu melhor amigo se estava ocupado ou se podia ir dar uma volta por ai. Gui respondeu de imediato dizendo que podiam sair, pois também ele estava farto de estar em casa. Encontraram-se ao pé da farmácia que fica na m…

Bed of roses

Sitting here wasted and wounded at this old piano
Trying hard to capture the moment this morning i don't know
'cause a bottle of vodka is still lodged in my head
And some blond gave me nightmares
I think that she's still in my bed
As i dream about movies they won't make of me when i'm dead

With an ironclad fist i wake up and french kiss the morning
While some marching band keeps its own beat in my head while we're talking
About all of the things that i long to believe,
About love, the truth and what you mean to me.
And the truth is, baby, you're all that i need.

I wanna lay you down in a bed of roses
For tonight i sleep on a bed of nails
I wanna be just as close as the holy ghost is
And lay you down on a bed of roses

Well I'm so far away
Each step that i take is on my way home
A king's ransom in dimes i'd give each night
Just to see through this payphone
Still i run out of time or it's hard to get through
Till the bird on the wire flies me back to you
I'll j…

I have a Dream

Tenho um sonho... tal como muita gente, se é que não é toda a gente no mundo.
Desde pequena sempre fui muito reservada, mas confesso que existe uma coisa à qual me rendo por completo e passo a ser eu própria, sem máscaras, completamente despida e transparente!
Esqueço-me do mundo à minha volta, entro num mundo só meu onde não existe mais nada para além de mim, da música e do sentimento. Foi sempre assim e assim permanecerá.
Acho que já nasci a dançar pois desde que me lembro que invento coreografias para tudo. Uma vez, segundo o que conta a minha mãe porque eu não me lembro, tinha eu 3 anos quando fomos passar férias à terra (Cumeada - Sertã), entramos no café lá da aldeia e estava a dar na televisão uma música que eu gostava muito (Saturday Night - não me lembro do grupo mas era uma música dance tipica dos anos 90) e eu levantei-me da cadeira e comecei a dançar a coreografia da música.

Lembro-me também que sempre fiz "mini espectaculos" para a familia, para mostrar as coreogr…

Xutos e Pontapés - Deitar a Perder

Ninguém te amou como eu
Ninguém te quis como eu
Ninguém te viu feliz como eu
Ninguém te magoou como eu, como eu

Como eu, ninguém esperou
Como eu, e acreditou
Que tudo se pode perdoar
Só à força de te amar

Sentado à beira-rio
Eu vejo-o correr
Ter a vida por um fio
Deitá-la a perder
Como eu

Como eu, ninguém esperou
Como eu, e acreditou
Que tudo se pode perdoar
Só à força de te amar
Sentir o amor escapar
Por entre os beijos fugir
Por entre as mãos escaputir
Como eu
Como eu

Não passam de sonhos...

É incrível como o nosso inconsciente é fascinante, descobri hoje que até nos sonhos dizemos coisas sensatas a nós próprios.
Sim hoje lembro-me de ter sonhado, sonhei com ele e acordei estranhamente alegre e depois voltei a adormecer. No instante em que voltei a adormecer voltei a sonhar mas desta vez com outras pessoas, crianças que não conhecia de lado nenhum e com a minha prima (que no sonho ainda era miúda, que coisa estranha) estavamos no autocarro que costuma levar os míudos para casa depois das aulas, mas ao que parece era a primeira vez em muito tempo que eu andava nele outra vez, pois a volta que o autocarro ia dar era bastante maior e completamente diferente daquela que costumava quando eu andava na secundária. Entretanto eu estava alegre, estado de espirito ainda vindo do sonho anterior provavelmente, mas de repente tudo mudou; virei-me para a minha prima e disse: "sinto-me outra vez com 12 anos" (isto porque tinha começado a dar no rádio do autocarro a musica "…

Doce Tentação part 6

Escrevo agora aqui à distância de alguns anos, não tantos quantos parecem ser, sinto como se fosse um passado longínquo talvez por a ele não querer regressar. Sei o que fiz agora que analiso com consciência os meus actos, sei dizer porque o fiz embora sem a exactidão da época em que foram pois o tempo acabou por apagar datas. Como uma doce tentação pode tornar-se numa memória amarga desprovida de emoção, pois a adrenalina é algo momentâneo, não nego que a aproveitei em todas as ocasiões que pude. Vida algo boémia essa que deixo para trás sem qualquer tipo de lamento, arrependimento ou remorso. Não preciso de pena, sei que fui vitima apenas de mim própria e dos meus próprios medos e frustrações...talvez ainda continue a ser.
Consigo ainda sentir o cheiro do teu cabelo, da tua pele, a força dos teus braços... Consigo ainda, se vasculhar na memória, reconhecer os vidros embaciados daquele Nissan Almera, que depois passou a ser um Peugeot 106... Vida louca essa que levavas também entre co…

Quem somos?

Para o Homem é extremamente dificil não pensar. Quando dizemos a nós próprios que não queremos e não vamos pensar, inconscientemente já estamos a pensar [que não vamos pensar], o cérebro continua o seu trabalho incessante.
O que não impede de bloquearmos pensamentos, podemos bloquear pensamentos por via do recalcamento por exemplo, devido a experiências traumáticas, o que não podemos é bloquear O pensamento na sua plenitude, porque faz parte da nossa existência enquanto seres racionais e é isso que nos distingue dos outros seres.
Não existimos porque pensamos, mas pensamos porque existimos. "Existo, logo penso".
Pensamos porque existimos, então e existimos porque...? Porque alguém quis que existissemos, a questão é saber quem somos depois de o ser, ou seja quem somos depois de existirmos.
Só vou saber quem sou depois de me admitir perante mim própria, depois de admitir que existo e que tenho de me resignar a essa existência, tentando encontrar a melhor maneira de o ser.

Quantas v…

The Last Post, probably

Pensei que iria conseguir, penso sempre, mas como alguém uma vez disse "os mais fortes são sempre os mais fracos". Chega, desisto, não dá mais, 21 anos a aguentar sempre tudo, a fingir-me de forte cada vez que era gozada, cada vez que me magoavam, cada vez que me feriam o orgulho, provavelmente pensam: isto era suposto deixá-la mais forte! Isso é um mito, ninguém consegue aguentar tanta coisa e ficar mais forte, as pessoas simplesmente aguentam. Eu também aguentei, até agora, mas sinto que não consigo mais. Não me quero fazer de vitima, sei que também já errei, mas preciso parar, parar de aguentar, parar de me auto-destruir.
O meu problema é auto-estima, finjo tê-la mas não a tenho. Actuo como se fosse uma grande mulher por vezes, como se tivesse qualquer homem a meus pés se quisesse, mas que bela armadura, sei que isso não é verdade, acabou, vou deixar cair a máscara pela primeira vez na minha vida, verdadeiramente.
Eu sou uma pessoa fraca, apesar de inteligente, sou uma pess…

Tudo o que eu te dou

Eu não sei, que mais posso ser
um dia rei, outro dia sem comer
por vezes forte, coragem de leão
as vezes fraco assim é o coração

eu não sei, que mais te posso dar
um dia jóias noutro dia o luar
gritos de dor, gritos de prazer
que um homem também chora
quando assim tem de ser

Foram tantas as noites sem dormir
tantos quartos de hotel, amar e partir
promessas perdidas escritas no ar
e logo ali eu sei...

(Que) Tudo o que eu te dou
tu me das a mim
tudo o que eu sonhei
tu serás assim
tudo o que eu te dou
tu me das a mim
e tudo o que eu te dou

Sentado na poltrona, beijas-me a pele morena
fazes aqueles truques que aprendeste no cinema
mais peço-te eu, já me sinto a viajar
pára, recomeça, faz-me acreditar
"Não", dizes tu, e o teu olhar mentiu
enrolados pelo chão no abraço que se viu
é madrugada ou é alucinação
estrelas de mil cores, ecstasy ou paixão
hum, esse odor, traz tanta saudade
mata-me de amor ou da-me liberdade
deixa-me voar, cantar, adormecer

refrão

Take Me

Every breath I take
I wonder if you would say it on my face
I guess not
So guess what
You wrote it in a message
Sent it to my phone
Everything gone wrong
I’m coming so undone
Left alone

Take me
Break me
Hate me
Love me
(I know you do)
Love me

I’m losing my way
I wonder if you would go back and stay
I guess so
If you’d think, though
You are not willing to
I’ve paid my dues
What else can I do?
For you

Take me
Break me
Hate me
Love me
(I know you do)
Love me

I can’t clear the mess
If you won’t give me that chance
Meeting you was a bless
Please take me for one last dance


escrito por: Joana Silva

Amo-te

Já reparaste como o amor é pop.? Seja quem for, pobre, rico, negro, branco, quando precisa de o demonstrar é sempre da mesma forma, dizendo Amo-te; não são precisas intelectualidades, não são precisas palavras caras, Amo-te, simples, directo e cheio de significado.
Amo-te é para muitos dificil de pronunciar, talvez por não amarem o suficiente, ou talvez por acharem demasiado pop., demasiado lamechas, demasiado vulgar; mas de qualquer modo, Amo-te! Seja em que língua for, Amo-te!

Dança...

Sinto o meu espirito leve... como se dançasse ao sabor de uma brisa fresca!
Acontece sempre isto cada vez que o meu pensamento se detém em ti, não o que sinto ao certo, pois não estás perto da minha vista; costumava pensar que era ridiculo alguém se apaixonar à distância, mas parece que fui apanhada no meio do meu próprio cépticismo.

Quero sentir o teu corpo no meu de uma maneira tão intensa que até um simples olá, neste momento, me perturba. Quero sentir o calor dos teus lábios e os teus braços apertando-me....

entre dois mundos

Talvez seja uma carta para ti, isto que vou escrever vem do fundo do coração porque hoje estou assim, sentimental! Talvez penses que me estão a afastar de ti, mas se pensares melhor percebes que és tu que me estás a afastar.
Lembro-me como se fosse ontem a noite em que nos conhecemos, a noite em que eu conheci a pessoa mais querida à face da terra, eras tão transparente e genuíno, completamente único, os teus olhos traspareciam tudo o que eras!
Recordo com saudades o meu emozinho, aquele que me fascinou logo desde o inicio! Apesar de todos os defeitos, tinha uma qualidade que os abafava por completo: preocupava-se de facto com os amigos!
O que aconteceu com essa pessoa? eu não sei! tenho medo de tentar saber pois não quero acreditar que já não existe!
Por que vejo eu agora uma pessoa fria e insensível? Eu quero muito acreditar que é apenas uma fase, que vai abrir os olhos e ver a realidade que está mesmo a sua frente!

Estou Entre Dois Mundos porque te amo, porque te adoro, porque não te …

Apetites

Hoje apetece-me falar sobre apetites! Tenho no meu facebook uma aplicação que nos diz o que nos apetece fazer naquele dia, chama-se "lista dos apetites". Quase todos os dias me lembro de ir lá para ver o que me calha e hoje nao foi excepção!
Eis que eu carrego na aplicação e me aparece: hoje apetece-me.... fazer amor na faculdade!
Eu fiquei sem palavras, para já porque o facebook anda muito espirituoso ultimamente e depois, porque ultimamente tem sempre acertado na mosca! Como é que ele sabe que amanhã, que já é hoje porque já passa da meia noite, eu vou à faculdade??
Começo a achar que o facebook se está a tornar numa espécie de Big Brother virtual!!

I'm Scared To Death To Fall In Love With You

I can't barely describe what's happening to me, but I'll try.
Everytime I listen to that certain song, it reminds me of you, feels like your soul's within the melody, beneath the beat, wrapped in every single chord.
I miss you when you take a long time to answer me, I miss you when you don't show up, simply because I like your conversation.
I can't say that i'm in love or infactuated, in fact, I really don't know how I feel about you. Despite that, I can tell how good, soft, sweet and, sometimes, bittersweet it feels to talk to you.

I feel exposed, you can really strip me with words when you want to, and I just don't make any effort to resist because I become so vulnerable; I feel like giving all myself to you.

"I'm scared to death to fall in love with you" (Scared to death - HIM)

I Hate Boys!

No-No-No I'm not bitter, I'm not mad
Well, maybe just a little, just a tad.
I know every apple here ain't bad,
But I found a worm in every single one I had.
(Boys) They're only good for fruit, I mean bananas.
(Boys) Them boys so nuts, they're drivin' me bananas
Oh boys, we should pack them up and ship em out.
Bo-bo-bo-boys Bo-boys
Bo-bo-bo-boys Bo-boys
I hate em.

I hate boys, but boys love me.
I think they suck and my friends agree.
I hate boys, but boys love me.
Eh yeah, eh yeah, eh yeah,
I. Hate. Boys.

If you hate em boys, shake it.
If you hate em boys, shake it.

We would all be happy all be glad,
If sweet mama nature never had,
A-all this dirty little boys who think that the girls
are only made for toys
Boys wants them women, though they barely can remember.
Then again all men are dogs.
All men are dogs.

I hate boys, but boys love me.
I think they suck and my friends agree.
I hate boys, but boys love me.
Eh yeah, eh yeah, eh yeah,
I. Hate. Boys.

If you hate em boys, shake it.
If you hate…

...

Algumas vez se sentiram tão sozinhos de maneira que só vos apetecesse estar rodeados de pessoas, mas, ao mesmo tempo, se sentiam fartos das pessoas, sem paciência para as aturar, sem paciência para falar, sem paciência para esboçar um sorriso, sem força sequer para deitar tudo cá para fora em lágrimas?
É assim que me sinto!

Às vezes só me apetece voltar atrás no tempo e recuperar todos aqueles momentos que me fizeram rir, que me deram alegria; por vezes só me apetece saltar toda esta fase e viajar para um futuro melhor.

Sinto que ando aos círculos, sinto que cada vez que dou um passo em frente algo me faz dar dois para trás. Porque cada vez que penso que é desta que vou conseguir, algo me impede.

Não precisava que falasses, se estivesses aqui bastava-me; bastava-me saber que estás perto porque realmente queres, porque te preocupas. Era para mim o suficiente...

Keep on!

Keep On Singing My Song

Oohhh, Yeah, Oooh Huh
I woke up this morning with a smile on my face
And nobody's gonna bring me down today
Been feeling like nothing's been going my way lately
But I decided right here,right now,that my outlooks gonna change

That's why I'm gonna
Say goodbye to all the tears I've cried
Everytime somebody hurt my pride
Feelin' like they won't let me live life
And take the time to look at what is mine

I see every blessing so clearly
And I thank God for what I got from above

I believe they can take anything from me
But they can't succeed in taking my inner peace from me
They can say all they wanna say about me, But I'm
I'm gonna carry on (carry on)
I'mma keep on (keep on) singin' my song

I never wanna dwell on the pain again
There's no use in relivin' how I hurt back then
Rememberin' too well the hell I felt when I was runnin' out of faith
Every step I'm 'bout to take well it's towards a better day

Cause I'…

Contado ninguém acredita!

Somos bastante diferentes, levas as coisas demasiado a sério às vezes, talvez seja por isso que me fascinas. Ao inicio pensei que fosses apenas mais um, com conversas de "chácha", como todos os outros que me adicionam e, assim que a conversa ultrapassa a fase de apresentação, enveredam por um caminho que não é propriamente o que me agrada mais. Logo percebi que contigo se conseguia ter uma conversa decente, gosto de falar contigo embora, por vezes, a tua seriedade seja demais para mim. Gosto também da sensação que me provoca pensar em ti.

Ai contado ninguém acredita!
Quando eu vou na procissão
Não há moça mais bonita.

Ai contado ninguém acredita!
Vão os santos pelo chão
E eu no andor da santinha.

Como é milagre,
Diz quem sabe,
Eu não sei!
Mas até a virgem mãe
Me gabou a casaquinha.

Como é milagre,
Diz quem sabe,
Eu não sei!
De tão bela até ganhei
Um altar na capelinha.

Óh!, mas ainda não sou Deus
P'ra reinar nos olhos teus
Que veneram o Divino.

E eu tão bela e imaculada
Só não sou idolatrada

Um sonho interessante

Estava a dançar no meio da areia, movendo as minhas ancas ao mesmo tempo que o suor escorria pela minha barriga, quando tu apareceste e levaste-me para a água, pegando-me ao colo. Quando saimos da água deitaste-me na areia e começaste a beijar a minha pele molhada e salgada da água do mar. Começaste pelo pescoço e continuaste até à barriga, entretanto arrancaste-me a roupa e...
É pena ter sido apenas um sonho, mas se os tues beijos forem de facto tão doces como foram neste sonho, então eu espero que se torne realidade!
Sabes o que é acordar e sentir ainda o toque na pele? É surreal e ao mesmo tempo sabe tão bem!

para construir o presente tem que se esquecer o passado

Todos os erros ficam enterrados no passado, é assim que devem ficar. Prometo nunca mais os repetir, aprendi com eles. Não quero ter mais nada a ver com aquela pessoa que fui, vou nascer de novo, como se acordasse de um coma profundo. Em mim guardo apenas as boas recordações, aquelas que não me magoam, aquelas que não me envergonham, aquelas que me deixam orgulhosa. Não me arrependo de nada que tenha feito, apenas de tudo o que deixei por fazer por mero receio. Não me arrependo, mas não me atrevo a repetir! Magoei quem não devia quando me sentia perdida; magoei-me a mim própria, porque no fundo sabia que não era aquela pessoa. Acabou! As marcas hão-de desaparecer, da mesma maneira que todos os que me magoaram viraram costas.

I’ve been bruised
For all their abuse
I’m fed up
Almost giving up
Until you showed up
And I’ve known love

Save me for the hurt
I know you’re not just another one
You’re the reason for my rebirth
So you’re not just another one

I’ve been cured
By the love you assured
I’ve got …

A verdade é exactamente essa... tenho medo!

O que acontece, quando parece que num momento temos tudo e de repente tudo nos é tirado?
Eu pensava que era feliz, tinha namorado, entrei no curso que queria, divertia-me com os amigos... fazia tudo o que uma jovem mulher deve fazer para crescer e se tornar alguém.
Do nada vi tudo a desmoronar, vi-me a ficar sem o âmparo de quem amava, a minha vida deu uma volta de 360 graus pelo lado negativo; tudo começou a parecer estar coberto pela escuridão.
Deixei a fraqueza tomar conta de mim nos piores momentos e agora é dificil voltar a ser forte!
Deixei de acreditar que era capaz, tive crises de criatividade, simplesmente não consegui superar-me, superar os meus próprios medos!
Os meus sonhos ficaram presos num passado fantasioso, porque o mundo real é bastante mais cruel; quando mais precisamos que acreditem em nós, deixam de acreditar, fazem-nos deixar de acreditar em nós próprios.
Apenas quero dizer que sou um ser humano e tenho sentimenots, tenho momentos maus, tenho momentos em que só me ape…

Nada será como dantes...

nada voltará a ser o que era ao inicio, aquele belo inicio...
sinto-me triste, mas devia ter percebido que era demasiado bonito para durar
tenho medo, nao quero que te afastes ainda mais, eu nao me quero afastar
ainda te lembras como era no inicio?

eu lembro-me
eu recordo
às vezes com alegria
outras vezes com mágoa
eu aceito
mas nao me conformo

talvez eu propria nao o queira admitir, que sinto a tua falta
que o desejo as vezes é mais forte
nao quero pensar; quantas vezes disse para mim própria: já chega!
mas nao se deixa de amar alguém só porque se quer

não sei se as tuas palavras ainda têm significado
às vezes acho que sim, mas outras pareces tão indiferente
ainda te lembras de tudo o que já me disseste?
eu não faço a menor ideia!

we've had enough

Love was taken from a young live
And no one told her why
Her direction has a dimlight
From one more violent crime
She innocently questioned why
Why her father had to die
She asked the men in blue
How is it that you get to choose
Who will live and who will die
Did God told you you could decide?
You saw he didn't run
And then my daddy had no gun

In the middle of the village
Within a distant land
Lies a cool boy with his broken toy
Too young to understand
He's awaken, ground is shaking
His father grabs his hand
Screaming crying, his wife's dying
Now he's left to explain
He innocently questioned why
Why his mother had to die
Why did these soldiers come here for?
If they're for peace why is there war?
Did God say that they could decide
Who will live and who will die?
All my mama ever did
Was try to take care of her kids

When innocence is standing by
Watching people loosing lives
It seem as if we have no voice
It's time for us to make a choice

Only God could decide
Who will live and who will die
Ther…

Pensamento Antitético

Desabafo para o papel pois neste momento é a minha única companhia.
Não sei ao certo o que me atormenta, apenas sei que o tormento é maior a cada dia que passa.
Sinto-te, cheiro-te, toco-te, parece tudo tão real que só quando abro os olhos me dou conta que era um sonho.
Que fiz eu para ter uma visão tão negativa da vida? Ainda tão curta, mas demasiado longa em desilusões.
Frustração! Frustração de não poder, de não ter, de não conhecer!
Louca talvez seja eu, por tentar mudar e não conseguir, por deixar de tentar mas não querer desistir!
Os meus pensamentos surgem como antíteses num qualquer poema escrito perante o desespero de alguém.
A vida está morta!
Estou enterrada em tão superficial profundidade que me falta o ar, temo não voltar a respirar.
Respiro-te, mas tu não estás!
Não estás, fisicamente nunca estiveste! Dentro de mim estarás, para sempre provavelmente!
Sã talvez seria eu, se não amasse!

Doce Tentação part 5

Estava calor, o suor escorria-me pelo corpo, conseguia sentir. Não sei se era das luzes, do álcool ou mesmo da música que não me deixava parar de dançar; talvez fosse tudo junto. Eu e a minha amiga estávamos na pista a dançar quando o meu olhar se cruzou com um rapaz de cabelo castanho claro, penteado à surfista, casaco branco e com um ar de quem era o dono daquilo tudo; a atracção foi imediata, apesar de não ter coragem de ir lá falar com ele devido ao seu ar importante, pensei que fosse daqueles rapazes insuportaveís super convencidos. A minha amiga bem insistiu, mas eu nada fiz, até que ela foi perguntar ao amigo dele (que depois descobrimos que era irmão) se nos podia apresentá-lo. Ele disse que sim e para espanto meu, eram os dois muito simpáticos, passámos o resto da noite na pista a dançar com eles e a conversar. Foi bastante agradável, tão agradável que, no fim da noite quando eles já estavam a ir embora, ao despedir-me do rapaz, não sei o que me deu porque nunca tinha feito t…

Mensagem 2

Tou a ouvir a Photographs.
Deu-me vontade de chorar. No bom sentido claro.
Mais uma musica que me faz lembrar nós.
A nossa grande amizade.
O nosso enorme amor.
Nós com um ser unico.
Uma alma que se tornou gémea.
Amo-te pa sempre.
tenho medo do futuro, pois como é incerto nunca se sabe.
Tenho medo de terminar o curso e ir pa longe de ti.
Estes 3 anos foram os melhores da minha vida.
Fizeram-m crescer. Ver a vida.
encontrar um grande amizade (tua).
Quero que dure para sempre. Ate fecharmos os olhos à vida.
Opa a serio tenho medo. Nao te queria perder depois disto tudo.
Depois do que passámos pa chegar onde estamos hoje.
Amo-te simplesmente.
Kuss @ 28

de: Fa'bio
para: mim
12/06/2010 - 10h44

uma das músicas que mais me diz! Da Weasel - Selectah

O mundo de hoje em dia cada vez tá mais complicado
Estou rodeado de mentiras e de pessoas falsas por todo o lado
O que é que está certo, o que é que está errado?
É difícil seleccionar e estou a ficar preocupado
Se vens com truques para mim, son, i’m ready
Já te tirei a pinta de longe, puto - i’m your daddy
Nem tudo o que parece é, nem tudo o que brilha é ouro
Porque a beleza interior para mim é o verdadeiro tesouro
Da Weasel never stop – já devias saber e aprender
Que isso dá-me imenso prazer
Adivinha quem voltou para surpreender muita gente
Vamos continuar – vamos em frente!
We never stop, we never stop,
baby so get up, baby so get up
We never stop, we never stop…

New Selectah
New Selectah
New Selectah
New Selectah

Hoje acordei com vontade de gritar
Escrevo para ti porque precisava de falar
Rimar, whatever, é mais um desabafo
Se queres que te diga – já dei um bafo
Não te assustes, puto, tenho tudo controlado
E se cuspo para o ar só espero que me caia ao lado
Tento manter-me direito, …

My world is upsidedown, or is it yours?

Não sei o que se passa, quanto mais procuro uma explicação mais me parece inexplicável. Quero apenas ser feliz... "I just wanna live simple and free"...
Nem sei por onde começar, ando tão enjoada e enojada com certas coisas que me têm vindo a acontecer, que sinto que tenho um monte de coisas, sentimentos, sensações entaladas na garganta, hoje acordei com vontade de gritar (acabei de citar da weasel sem me aperceber *.*), gritar com aqueles que me chateiam, com aqueles que não me conhecem porque simplesmente nem se dão ao trabalho, gritar comigo própria até, porque no final das contas fui eu que deixei, sem me dar conta, isto chegar onde chegou.

Naquela época eu só me queria divertir, uma pista ou uma coluna, boa música, bons copos, uma curte no fim da noite, era tudo o que eu achava que era preciso para ser feliz... mas cresci (psicologicamente) (conheço alguém que, se ler isto, vai dizer: "eu disse-te"), continuo a gostar da pista, da coluna, da boa música e de alg…

Doce Tentação part 4

E ali fiquei a sentir o calor do fogo tocar-me a cara, enquanto recordava os oito meses de namoro que passei com aquele rapaz, todos os altos e baixos, todos os ciúmes e desconfianças. Todas as mensagens que troquei com o outro rapaz sem ele saber, não me orgulho admito, mas era demasiado inconsequente na altura. Lembro-me da nossa primeira vez, foi no parque de estacionamento das piscinas da Fróia. Só me arrependo porque não o fiz por me estar a entregar a quem gostava, sei que o fiz apenas porque queria deixar de ser virgem. Agora que penso nisso, até me acho uma pessoa horrível...
Cada beijo... era no outro que eu pensava, é dificil recordar isto, mas inevitável. Só durou oito meses, porque cheguei a um ponto em que decidi que não podia estar a enganar-me mais a mim própria, muito menos áquele rapaz. Não foi uma tarefa fácil, porque sabia que o ia magoar.
depois de termos acabado tudo, dei-me conta que nada iria mudar em relação ao outro rapaz... e foi aí que começou uma longa viagem…

Doce Tentação part 3

Dia 28 de janeiro de 2006
Estava em casa, atarefada com os preparativos para o baile de finalistas, nervosa e a tentar imaginar como seria o meu par, pois por mais estranho que pareça eu não o conhecia. Ele era primo do namorado de uma amiga minha, ela é que tinha "arranjado" esta situação, porque o rapaz que eu tinha convidado, e de quem eu gostava, não podia ir comigo. Embora saiba que a desculpa que ele deu seja verdade, não consigo evitar pensar que provavelmente ele não queria ir de quaisquer das maneiras. Já me encontrava pronta para ir para o jantar, a minha irmã foi-me levar a casa dessa tal amiga minha, onde nós as duas, e o resto do nosso grupo, combinámos de nos encontrar para podermos ir todas juntas para o restaurante. Alguns minutos depois de ter chegado lá, o namorado da minha amiga e o primo dele chegaram também, levaram-nos até ao restaurante. Correu tudo bem no jantar, eu e ele não falámos muito, apenas quando fomos para os bares antes de irmos para a disco…

Doce Tentação part 2

Porque voltei aqui? Ao lugar onde me achei e, provavelmente, me perdi! Lembro-me bem quando tudo parecia um mar de rosas quando, na realidade, se assemelhava mais a um mar negro. Eu não via, ou se calhar não queria ver, no que me estava a tornar. Limitava-me a viver e a fazer aquilo que achava certo na altura. Não me arrependo, mas também não me orgulho porque hoje sei que em nenhum momento desses fui realmente feliz. Penso que o tinha mesmo de fazer, de qualquer das maneiras cresci, mas olho para trás com um sabor amargo na boca. Porque estarei eu a relembrar isto tudo, enquanto aqui estou a sentir o calor do fogo e a ouvir o vento soprar lá fora? Tantas são as recordações boas como más.

Doce Tentação

Hoje cheguei cansada da viagem, o céu está cheio de nuvens negras, aproxima-se uma trovoada das grandes. Sinto-me aliviada por ainda ter chegado a casa a tempo de não apanhar a tempestade durante a viagem. Há muito tempo que não vinha para a terra, está tudo mudado, já quase não há pessoas aqui, parece tudo abandonado. Onde outrora existiram hortas e pomares, agora é só mata e pinheiros. Este sitio tornou-se sombrio e assustador. Vou ter de passar aqui a noite, embora este silêncio me esteja a dar arrepios. A vila mais próxima fica a 7km daqui, mas parece tão longínquo devido aos montes cheios de floresta, que até mete medo. Fui acender a lareira para ver se dava um aspecto mais acolhedor a casa que, por estar inabitada há anos, está cheia de pó e teias de aranha. Há ainda uma televisão na prateleira da sala, tentei ligar e pelos vistos ainda funciona, consegui ver os quatro canais apenas com um pouco de chuva. Fiquei sentada à lareira a olhar para o fogo que crepitava, a pensar... po…

Giving up

I'm giving up on everything
I'm giving up on living
I'm giving up on breathing
I'm giving up on smiling
I'm giving up
because I am not strong enough

Für Dich

a amizade tem sitios obscuros que por vezes são dificeis de encontrar e desvendar, mas por mais que sejam os nossos sitios obscuros, nós encontraremos sempre uma luz para os iluminar, porque a partir do momento em que as nossas almas se conheceram, nada nem ninguem as pode fazer parecer estranhas uma a outra! posso não ser feliz por nao ter ninguema meu lado, por nao ter dinheiro, mas tenho algo mais valioso do que qualquer coisa;
porque é eterno,
sobrevive
a todas a intempéries! Eu Amo-te!

Mortais até que ponto?

Desde que o mundo é mundo que todo o cristão se debate com esta temática: Seremos ou não imortais? Até que ponto seremos mortais? Na minha modesta opinião, penso que somos todos, de alguma forma, imortais. Mas não num sentido sobrenatural ou qualquer coisa do género, não opino sobre isso até porque nunca morri (como é óbvio) portanto não sei se certas coisas existem.

Mas o meu ponto de vista reside na vida para além desta, porque, vejamos, seria um pouco deprimente nós andarmos aqui uma vida inteira, sabendo que o que temos de mais certo é a morte, a gastar dinheiro, a ganhar experiência, a aprender com os erros e a festejar as vitórias. De que nos vale tudo isto se um dia vamos morrer? mais valia estarmos o dia inteiro sem fazer nada, não é verdade? Não faz, para mim, qualquer sentido, tudo isto tem de ter um propósito, uma finalidade, que só iremos descobrir quando chegar a nossa hora.

Enquanto não o descobrimos, podemos ter uma certeza, seremos imortais pois a alma não se perde, fica…

Dedicada a ti kuss@28

Don't Speak
You and me
We used to be together
Everyday together always
I really feel
That I'm losing my best friend
I can't believe
This could be the end
It looks as though you're letting go
And if it's real
Well I don't want to know

Don't speak
I know just what you're saying
So please stop explaining
Don't tell me cause it hurts
Don't speak
I know what you're thinking
I don't need your reasons
Don't tell me cause it hurts

Our memories
Well, they can be inviting
But some are altogether
Mighty frightening
As we die, both you and I
With my head in my hands
I sit and cry

Don't speak
I know just what you're saying
So please stop explaining
Don't tell me cause it hurts (no, no, no)
Don't speak
I know what you're thinking
I don't need your reasons
Don't tell me cause it hurts

It's all ending
I gotta stop pretending who we are...
You and me I can see us dying...are we?

Don't speak
I know just what you're saying
So please stop explaining
Don…

A verdadeira história

Jwysa é uma jovem mulher, de 21 anos, que nasceu na capital daquele país, dentro de uma família dita normal. Mas nem tudo era normal na vida desta rapariga. Começando pelo seu pequeno distúrbio de personalidade, Jwysa não consegue ser a mesma pessoa quando está com a família, que quando está com os amigos. Não que ela seja hipócrita, porque na verdade ela nem gosta de hipocrisias, mas não consegue ser de outra maneira. Talvez seja um pequeno indício de dupla personalidade; quando era pequena costumava rodear-se de amigos imaginários, para nunca se sentir sozinha, quando na realidade o estava, ainda hoje, por vezes faz isso, rodeia-se de pessoas dentro da sua própria cabeça, pessoas em quem ela pode confiar, que vão estar sempre lá quando ela precisar de refúgio. Refugia-se assim no seu próprio mundo, porque lá ela sente-se segura, longe dos olhares criticos e maldosos.

Jwysa desde cedo lidou com a rejeição, principal e mais precisamente no campo amoroso. Também rejeitou, é certo, por …

Who Am I?

Vou tentar descrever da melhor forma, quem sou eu, no que me tornei, quem eu era, no que provavelmente serei. Vou começar do inicio, na infância, pode-se dizer que tive uma infância feliz, rodeada pela familia, aqueles que eu sabia que nunca me iriam virar as costas por nenhuma coisa miníma. Não andei em nenhum infantário até aos três anos, tinha uma ama, e gostava de lá estar em casa dela, eram a minha segunda família, a minha segunda mãe, o meu segundo pai, os meus segundos irmãos, as minhas avós (pois não conheci os meus próprios avós); mais uma vez eram pessoas em quem eu confiava, aqueles que eu sabia que não me iriam virar as costas por nenhuma coisa miníma.

Acho que nunca contei isto a ninguém mas, quando era pequena, sempre tive medo de ir para a escola, medo do que os outros iriam dizer, por ser "diferente", por ter algo fora do comum, desde muito pequena sempre tive perfeita noção das coisas, o que pode-se dizer que até é estranho, tinha medo dos olhares, das bocas;…

13 (cap.6)

Finalmente admiti para mim mesma o que se estava a passar, ou o que não se estava a passar.
Para conseguir alcançar a luz e ficar em paz.
É necessário enfrentarmos os nossos medos.
Se caímos num abismo, é porque não os conseguimos enfrentar, então há que admiti-lo.
Não estou perdida dentro de mim própria, apenas encontrei a Morte dentro de mim!
Agora sim, em paz!

A luz outra vez (cap. 5)

Bati no chão suave e delicadamente e al fiquei estendia, sem saber se deveria me levantar ou não.
Resolvi não me mexer e tentar perceber o que se estava a passar, o que era aquela luz, aquela brisa, aquele espelho com aquelas sombras, porquê que me senti cair e onde estou agora?
Todas estas perguntas me confundiam a mente, ou será que era eu quem não queria ver a realidade.
Acho que sei onde estou, mas não quero admitir.
Senti claridade, por isso abri os olhos, lá estava ela outra vez, ténue mas linda.
Tentei outra vez, levantei-me e corri.
Parecia que algo estava a mudar, a luz estava a ficar cada vez mais forte, como se eu me estivesse a aproximar.
Até que a senti, quente e acolhedora.

O abismo (cap. 4)

Sentei-me, refugiada atrás do que pensei ser umas rochas. Porquê que tudo neste sitio é escuro e sombrio.
Frio e sem vida! Sem contar com aquelas sombras, que eu desconfio que de vida não têm nada!
Outra vez aquela brisa! Que trazia com ela uma falsa calma. As imagens naquele espelho não paravam de me invadir a mente, passavam frente dos meus olhos como um filme...
Senti-me desmaiar, as pestanas pesaram-me, parecia entrar em transe.
A sensação foi de estar a cair, rápida e desajeitadamente, como se a gravidade me atraísse para o fundo do abismo como um ímen.
Mas não parei, continuei a cair, a cair, estava quase sem conseguir respirar.
De repente tudo mudou, vi-me a pairar no ar, como se tivesse segura por um trapézio invisível.

O espelho (cap. 3)

Pensei ter acordado finalmente. Mas encontrava-me num lugar estranho.
Havia um caminho e ao fundo conseguia ver algo que reluzia. Percorri esse caminho, para tentar chegar mais perto daquele brilho. O chão parecia escorregadio, tendo em conta os meus pés descalços...
Parei diante de um espelho, em tempos deve ter sido rectagunlar, mas agora encontrava-se partido em cima, num dos lados...
Tentei ver o meu reflexo... dei um salto para trás, o espelho não me reflectia, mas sim sombras, várias, de vários tamanhos e feitios!
Fiquei paralizada, paralizada de medo dos meus proprios medos, que aquele espelho mostrava!

Brisa fresca (cap. 2)

Senti uma brisa fresca tocar-me o rosto, parecia veludo suave. Tentei em vão agarrá-la.
Passou-me por entre os dedos, com uma rapidez esquiva.
Toquei no meu rosto, a pele parecia seca, enrugada pelo tempo que já passou sem eu dar conta.
Abracei-me a mim própria, no intuito de me reconfortar; tinha as roupas rasgadas pelas memórias amargas.
O cabelo encontrava-se emaranhado, quebradiço, tal como eu.
Frágil, tão frágil que senti a brisa, que soprou de novo, me derrubar.
E ali fiquei, deitada, paralizada pelo medo de me mexer.

Essa luz ténue (cap. 1)

Fecho os olhos, mergulho numa escuridão densa, como que absorvida pelo medo de cair e não mais me levantar abro os olhos de repente, continua tudo escuro...
Não vejo nada nem ninguém... nem sequer a mim própria.
Que sitio é este? Parece-me tão familiar mas ao mesmo tempo tão distante!
Aparecida do nada vejo uma luz ténue, treme como se dançasse ao som de uma qualquer melodia, no momento seguinte desaparece...
Olhei de novo, desta vez para outra direcção, à procura dessa luz.
Voltei a vê-la, então comecei a correr...
Mas quanto mais corria, mais longe ela ficava.
Cada vez mais e mais.
Senti-me cansada, parei.
Isto não me iria levar a lado nenhum!
Tentei pensar noutra solução mas não consegui.
Então ali fiquei, perdida dentro de mim!

Self-destruction

estou farta de lágrimas
pensava que aquelas seriam as ultimas
mas vejo-me cada vez mais afogada nelas
estou farta de escrever sempre as mesmas coisas
parece que me faltam as palavras
parece que o meu dicionario ficou reduzido a palavras amargas
tristes, destrutivas
não consigo evitar, embora queira...
preciso de ajuda?
talvez...
devo admitir que não estou capaz de lidar com a rejeição da maneira que devia
a solidão é o meu pior inimigo
mas sinceramente, tem-me faltado paciencia para aturar as pessoas
nesse caso, a solidão é o meu melhor amigo
paradoxal... tal como me sinto neste momento
não quero estar sozinha, mas ao mesmo tempo não me apetece estar com ninguém
sinto que estou a percorrer o caminho da autodestruição psicológica
não consigo de todo perceber o que me aconteceu
é verdade que é ridiculo sentir-me assim quando há pessoas a morrer a fome por este mundo todo, com problemas bem piores
sinto-me ridicula quando penso nisso
e mais ridicula ainda porque apesar de o saber, ainda assim não consigo ev…

O passado comanda-me

não sei se será exactamente esta a melhor expressão, mas o que é certo é que ainda estou demasiado agarrada a acontecimentos do passado, o que me provoca saudosismo que mais tarde se transforma em melancolia, nostalgia e, posteriormente, frustração!

talvez seja por ter sido tão especial, talvez seja por eu me recusar a acreditar que já não vale a pena! acredito que isto em nada seja bom para mim, mas não consigo evitar! dou por mim a relembrar os momentos que passámos e a pensar: "o que foi aquilo afinal?" "teve significado?" "será que tu também te lembras, com o mesmo entusiasmo que eu?"

é tão complicado gerir este tipo de sentimentos, que dou por mim a tentar dar-lhes um nome e não consigo! é dificil lembrar-me de como nos tratavamos e agora tenho medo de fazer seja o que for porque as tuas reacções mudaram em relação a mim! tenho medo principalmente de que tu deixes de dizer certas coisas para mim ou fazer certas coisas por achares que estás a alimentar…