Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2013

Sonhos do arco da velha 2

Estava a andar pelos corredores da faculdade acompanhada por um rapaz (não me recordo quem era) quando o I. apareceu, saído de uma sala, e me cumprimentou. Perguntou-me, apontando para dentro da sala, se eu conhecia aquelas duas raparigas que se encontravam de pé ao lado de uma das mesas, eu disse que não. Então ele disse para irmos com ele para a festa que estava a decorrer lá na faculdade, no 1º piso. Nós fomos; entretanto o rapaz que estava comigo chateou-se por causa da falta de atenção e desviou caminho; quando demos por nós estávamos só os dois, eu e o I.
Subimos então as escadas para o 1º piso, mas a confusão de pessoas era tanta que eu perdi-o de vista. Depois de muito procurar, lá o encontrei junto daquelas duas raparigas que anteriormente tinha visto dentro da sala. Ele já estava "alegre" e chegou ao pé de mim a pedir-me para eu o livrar daquelas duas.
E assim fomos para o dormitório (que no sonho era dentro da faculdade - uma espécie de Hogwarts style). O dormitór…

Agora já sei...

....o porquê de andar tão ansiosa

Medo

Às vezes não me reconheço. Se fosse há alguns anos atrás, chegaria ao pé dele, olhar-lhe-ia no fundo dos seus olhos e diria simplesmente: "gosto de ti!"
Hoje não sou capaz; as minhas feridas já foram demasiadas vezes reabertas e eu sinto que ainda não estão completamente saradas.
Tenho medo. Tenho medo que elas se abram novamente, que voltem a arder, a sangrar e, desta vez, não sei se seria capaz de suportar tal dor.
Mas tenho medo. Tenho medo que esse medo me torne numa pessoa desconfiada, incapaz de se deixar levar pelos sentimentos, de deixar entrar pessoas na sua vida por pura insegurança.
Às vezes não me reconheço. Vejo toda a minha força e coragem transformadas em receio de falhar, toda a perseverança transformar-se em desistência.
Sim, hoje desisto; escondo-me em mim própria como um ouriço caixeiro, deixando visível apenas uma armadura de espinhos.
Tenho medo. Tenho medo de estar a perder a minha essência aos poucos e que cada vez seja mais difícil recuperá-la.
Mas te…

Dia para esquecer!!

Acordei às 6h como sempre e, como sempre, não me levantei logo porque costumo levantar-me às 6h10. Decidi, então, fechar os olhos por 10 minutos... quando abro os olhos são 7h!!! Levantei-me fiz tudo a correr, lá consegui apanhar o comboio das 7h51... "menos mal" pensei eu, "chego apenas 20 minutos atrasada". Tudo a correr bem até que o comboio pára a meio do túnel antes de entrar na ponte, fica um bom bocado parado e depois lá atravessa a ponte... a 10km à hora!! "oh sorte a minha"... chegámos a Campolide e lá fica o comboio mais um tempo parado. Enfim, a avaria é resolvida e começamos a andar novamente.
Finalmente, chego a Entrecampos e vou para o metro. Mas como um azar nunca vem só, assim que chego ao metro oiço a "Voz" dizer que há perturbações na circulação da linha amarela devido a uma avaria da sinalização.... mais 10 minutos de espera.
Conclusão, cheguei uma hora atrasada à aula! Ele há dias em que uma pessoa não devia sair da cama, qua…

Uma Espécie de Dejá vu

Estava a ver uma série que costumo ver aos sábados (The Carrie Diaries, btw) quando, durante uma cena, tive uma espécie de dejá vu.
Walt - uma das personagens - é um rapaz que descobriu recentemente que afinal de contas é gay, depois de ter namorado com Maggie durante anos. Esta última quando soube ficou transtornada, deprimida e chateada com ele pois achou que o facto de ele não a amar da mesma forma significava que ela não era digna e que não tinha qualquer valor.
Bom, na cena em questão a Maggie decidiu pedir desculpas ao Walt por ter sido dura com ele. Após alguma conversa Walt diz que o facto de ele não a amar não tem nada a ver com ela, que ela tem de parar de pensar nela própria como sendo alguém indigno e que merece alguém que a ame.

Agora o porquê do dejá vu. Passei por uma situação semelhante e aquela cena lembrou-me uma outra que ocorreu na vida real, na minha, nas escadas da porta lateral de uma Igreja. As palavras que ouvi foram parecidas com as que a Maggie ouviu, e foi …

Música Boa

Confesso que estou curiosa para ouvir o álbum que sai dia 3 de Dezembro, mas até lá vou decorar (se é que já não decorei) a letra de Perfume. Se já gostava de Work Bitch, agora adoro esta!!



As Pessoas mudam com o Tempo, ou o Tempo mostra como são as Pessoas?

Esta é uma pergunta difícil de se responder assim de caras, mas penso que tudo depende das situações e do que nos salta à memória numa primeira instância depois de a lermos/ouvirmos.

Vejamos, todos nós mudamos com o tempo: crescemos, o corpo transforma-se, amadurecemos (generalizando, pois há sempre quem não amadureça no devido tempo), vivemos novas situações, novas experiências e essas experiências podem levar a que mudemos a nossa forma de pensar, e até de ser. Situações desagradáveis podem transformar as pessoas, que outrora era doces e afáveis, em pessoas amarguradas; da mesma forma, situações inesperadamente boas podem tornar as pessoas mais acessíveis. Por vezes, experiências desagradáveis também contribuem para que as pessoas mudem para melhor, já dizia o ditado "há males que vêm por bem".

No entanto, se pensamos que conhecemos alguém profundamente, até ao ínfimo detalhe da sua alma, estamos redondamente enganados. É muito difícil conhecer alguém na totalidade, e esta…

ele 4.0

E tudo começou com uma espécie de aposta; agora estou mergulhada num desejo inesperado, só não sei é o que fazer...

What is a Soulmate?

It's like a best friend, but more. It's the one person in the world who knows you better than anyone else. That someone who makes you a better person. No, actually they don't make you a better person. You do that by yourself because they inspire you. A soulmate is someone you carry with you forever. It's one person who knew you, accepted you and believed in you before anyone else did or when no one else would. And no matter what happens, you'll always love them and nothing could ever change that.

- Dawson's Creek

O último episódio

Há muito tempo que não escrevo no blogue como costumava: grandes textos, reflexões, experiências, histórias fictícias... Tal abstinência deve-se, em parte, a falta de motivação e a falta de tempo por causa da faculdade. No entanto, não é apenas isso, cheguei a essa conclusão há poucos dias atrás.

Normalmente escrevo sobre sentimentos e experiências sentimentais, mas nos últimos tempos tenho andado a sentir-me estranha, esquisita, sem saber explicar o que se passa comigo. Demorei vários dias até falar sobre isto com alguém, pois como não sabia explicar achei que não valeria a pena desabafar, a pessoa não iria perceber e não saberia como ajudar-me; então quando finalmente se fez luz, percebi do que se trata esta esquisitice e este vazio: falta de paixão.

É isso, estou numa fase da vida em que não "gosto" de ninguém, não estou apaixonada por ninguém e tal coisa nunca me tinha acontecido, por norma eu deixo de gostar de alguém por passar a gostar de outra pessoa, assim foi desde…

Pensamento da Noite 37

se os cães pressentem mais facilmente a presença de espíritos... será que quando o meu cão ladra e nós não vemos nada, ele está a ladrar por estar lá "alguma coisa" (espírito, talvez)?? creepy thought!

Sonhos do arco da velha!

Há muito tempo que não tinha sonhos estranhos para contar; este é no mínimo bizarro!

[no sonho] Estava a falar com uma certa pessoa no chat do facebook e, por alguma razão que não me recordo, começamos a discutir sobre gostos musicais que são bastante diferentes, ao que eu lhe digo: "as pessoas não podem gostar todas da mesma coisa". A isto, essa pessoa respondeu em inglês com a seguinte frase: "My eyes and ears are not the eyes and ears of the world".

E eis que acordei, e fiquei a pensar onde raio fui eu buscar esta frase e qual era o seu significado no contexto... ainda não cheguei a conclusão nenhuma!

Erros que me tiram do sério!

Também os dou às vezes, é certo, principalmente se estiver cansada ou pouco atenta ao que estou a fazer e se forem palavras que uso poucas vezes - acontece aos melhores, mas há erros que não se desculpam de tão básicos que são!
Vejo muitas vezes isto nas redes sociais:

Também - em vez de 'tá bem (esta então dá-me nervos, porque tenho que ler a frase mais que uma vez até perceber o sentido!)

Voçê - em vez de Você (ou qualquer outra palavra com "C" e a seguir um "i" ou um "e": epa de uma vez por todas, o "C" quando é seguido por uma destas vogais não precisa de cedilha!!)

Asseguir - em vez de Aseguir

concerteza - em vez de Comcerteza

Ades - em vez de Hás-de (ou hás de, segundo o acordo para o qual eu me estou a cagar)

E há mais, eu agora não me estou a recordar de mais nenhum, mas assim que me lembrar venho actualizar o post!




Coisas Para as Quais Eu Não Tenho Paciência

- Pessoas que na realidade não querem ser ajudadas...

São aquele tipo de pessoa que vem ter connosco a queixar-se de alguma coisa, pede-nos um conselho, ou pergunta mesmo o que há-de fazer, nós dizemos o que pensamos, dizemos que estamos disponíveis para ajudar, etc, mas depois não fazem nada para saírem da situação onde estão, nem fazem uso da nossa ajuda.
Este tipo de pessoas faz-me lembrar aqueles gordos (desculpem se estou a ofender alguém, mas também me ofendem muitas vezes quando me chamam magra, portanto já deixei de ter pena)  que passam a vida a queixar-se que têm de emagrecer mas depois é vê-los nas pastelarias a comer bolos cheios de creme.

Se não querem fazer nada daquilo que os outros aconselham, nem querer mudar o vosso rumo, então não se queixem, nem venham pedir conselhos! É que é extremamente frustrante para um amigo uma situação como esta: alguém vem queixar-se porque tem problemas com o namorado/a (por exemplo) e, depois de longas conversas e desabafos, continua tud…

Só para quebrar o "silêncio"

Depois de tanto tempo sem escrever nada, continuo sem saber o que escrever, por isso nada melhor que uma boa música para descrever o meu estado de espirito. Christina Aguilera - Best of Me

Think I’m still tough as nails
Never feel, never fail
But you’re wrong, so damn wrong

Feel the weight of your hate
I still bleed my heartaches
As you take, and you take

Words cut through my skin
Tears roll down my chin
My walls crumble within, hey

But I’ll take it all on
And get up when I fall
‘Till the last curtain call

But you’ll never get the best of me, no more
Said you’ll never get the best of me, no more
Aren’t you tired of throwing stones
Trying to kick me when I’m down
But you’ll never get the best of me, no you won’t
Say I’m cold, made of ice, heart of stone, born to fight
But I cry, I still cry

Are you happy to know
I’m unhappy, alone
Take your shot, I’m wide open

Words cut through my skin
Tears roll down my chin
My walls crumble within

But I’ll take it all on
And get up when I fall, ha
‘Till the last curtain call

But…

Pensamento da Noite 34

às vezes sinto-me tão farta de pessoas que só me apetece desatar a chorar, tal não é a vontade de dar estalos que infelizmente não posso saciar! (até calhou em verso)

Férias...

Penso que a partir de amanhã, o sítio onde vou estar vai-me dar a inspiração certa para escrever uma história que já devia ter escrito há muito tempo... não a irei publicar no blog, mas talvez tente publicá-la fisicamente! :)

Pensamento da Noite 32

aaahh nas séries o amor é tão lindo! A gaja está apaixonada pelo gajo, diz-lhe e eles começam a namorar.... o gajo está apaixonado pela gaja e eles começam a namorar... (mesmo que ainda demore alguns episódios)
na vida real, a gaja diz ao gajo que está apaixonada, ele caga para ela, deixa-lhe de falar, começa-a a tratar com desprezo, etc...
o gajo diz à gaja que está apaixonado, ela caga para ele, afasta-se, etc...
O amor é lindo... nas séries!

Fim de Semana

vou aproveitar que o fim de semana vai ser passado no campo para ver se me inspiro e se acabo de vez com a crise de escrita e o bloqueio criativo!

10 coisas que não sabes sobre mim parte III

1 - acho que espíritos existem

2 - a minha barbie morena era a amante do Ken, que era casado com a Barbie (lembrei-me de repente lol)

3 - o filho da minha ama punha-me a ouvir Sepultura e eu adormecia (isto merecia o Guiness, estou sempre a dizer)

4 - sempre estive dividida entre "ser" a Emma ou a Mel C das Spice Girls (isto poderá querer dizer algo sobre a minha personalidade)

5 - acho alianças num namoro super pindérico

6 - fiquei traumatizada com História no 6º ano, a prof tinha um "baúzinho" com padrões de leopardo (acho que todos ficámos um pouco)

7 - quando era pequena tinha medo do Marilyn Manson; depois ver The Rise and Rise of MM no VH1 fiquei fã

8 - o meu único acto de fanatismo até hoje foi chorar quando o Michael Jackson foi preso (e quando morreu, mas esse não conta porque é normal)

9 - Já agora, quando ele morreu toda a minha família me mandou mensagens de "condolências"

10 - Gostava de ter vivido numa época em que misturasse a ousadia dos a…

Pensamento da Noite 31

sei que não sou uma pessoa fácil, mas gostava que [certas] as pessoas se dessem ao trabalho de me tentar conhecer em vez de saltarem para conclusões precipitadas... muitas delas [dessas certas] surpreenderiam-se  bastante!

Pensamento da Noite 28

é esta hipocrisia da sociedade q me enerva; acham que só porque uma pessoa gosta de diversão não é sensivel, ou não gostaria de ter uma relação séria... ou não leva os relacionamentos a sério
para mim uma coisa não tem nada a ver com a outra
eu adorava ter um relacionamento sério, mas se ainda não aconteceu não vou passar fome, o que não significa que vá com o 1º que me apareça a frente, há q ter padrões...

I need some action...

Para além de ter congelado um curso, devo ter, sem me aperceber, congelado também a minha vida pessoal. Está mais estancada que um carro preso na areia! Estou realmente cansada deste "não acontece nada", e sim até me podem dizer que eu é que tenho de fazer acontecer e tal... mas às vezes não é bem assim; o que raio hei-de eu fazer? Andar aí a tentar engatar gajos como se não houvesse amanhã e esperar que algum caia na rede?? Se calhar... mas perdi o jeito para isso, I guess... ou mesmo a pachorra, de tanto aturar gajos que não merecem o chão que pisam (só para não dizer o ar que respiram, pois não quero desejar a morte a ninguém mesmo que subtilmente).

Não posso conversar com ninguém sobre isto porque ninguém pode fazer nada, e tudo o que oiço é "pois nisso não te posso ajudar", portanto poupo os meus amigos da maçada de me ouvirem (sim, eu acredito que o seja, porque às vezes até eu me maço a mim própria com isto), e poupo-me de uma tentativa falhada de arranjar s…

Espero um dia te poder dizer...

Amo-te
Na realidade, acho que nunca deixei de gostar de ti
Porque mesmo quando gostava de outras pessoas, lembrava-me de ti, acabava sempre a tentar encontrar alguma semelhança, por mais insignificante que fosse...
E quando penso na possibilidade de vir a ter um relacionamento sério, não consigo evitar ponderar sobre o que é mais importante para mim... e no meio dessa ponderação estás sempre tu
Pois ter um relacionamento sério implicaria deixar de estar contigo, e eu não sei se sou capaz
E apercebo-me que não quero...
É isso... amo-te

Cara Nova

Decidi mudar a imagem do blogue por três razões:
Primeiro porque ando com pouca inspiração e pode ser que mudando o blogue melhore;
Segundo porque estamos quase no Verão, e Verão significa cores;
Terceiro porque gosto de Street Art e um dos meus filmes preferidos é o "Step Up - The Streets".
:)

Pensamento da noite 26

o que me faz ir para a cama tarde não é a internet, é o medo de me deitar, pois sei que vou ser assaltada por todos os pensamentos que andei a evitar durante o dia...

Bolonha, estaria eu melhor sem ti??

A tentar focar-me na verdadeira razão que me levou a entrar para a faculdade de letras e tentar fazer o meu curso não chumbando a nenhuma disciplina (algo que até agora estou a conseguir) e pôr de parte todo o excremento que fede lá dentro!
Desculpem-me a expressão tão depreciativa, mas receio que não dê para ser de outra forma, ora vejamos: a começar pelos funcionários da secretaria, que cada vez que alguém vai lá pedir uma informação tratam-nos como atrasadinhos mentais e a sua resposta preferida é "está tudo no site da faculdade", e aí eu penso: se está tudo no site da faculdade você não está aqui a fazer nada, podia ir para casa então, podia ser que me baixassem as propinas já que teriam menos um ordenado para pagar! Ah e já que falo em propinas, sou eu que as estou a pagar, mereço no mínimo que me tratem como deve ser e não como uma atrasadinha mental!! Obrigadinha sim?

Depois temos determinados professores, que de certo não conhecem a realidade da faculdade onde trabal…

Conversas Verosímeis

ele: por que é que tens uma foto minha na carteira?
ela: foste tu que ma deste, não te lembras?
ele: não!
ela: deste-ma no final do 9º ano quando nos devolveram as fotos, que nós dávamos a mais para as matriculas, juntamente com as folhas das notas. Devolveram-te duas, uma disseste que ias dar a tua mãe e deste-me esta porque eu me ia embora.
ele: eu fiz isso?
ela: sim, disseste que não ias precisar da foto e como eu me ia embora...
ele: *risos* e ainda a tens...
ela: que raio querias que fizesse com ela? deitasse fora? ainda por cima deste-ma de livre e espontânea vontade. 
ele: não me lembrava...
ela: é... tu às vezes até eras querido!

Fechado para Balanço

Não, não estou a falar do blogue, e muito menos tenho uma loja e preciso de a fechar para que possa efectuar um balanço económico. O que está fechado para balanço é, na verdade, o meu coração. Sinto essa necessidade devido ao desmesurado turbilhão de emoções em que me encontro, portanto faço uma pausa (não com Kit-Kat, embora desconfie que hei-de apreciar bastante a companhia do chocolate) para me poder encontrar - seja lá o que for que isto signifique -, para poder ter forças para espantar definitivamente fantasmas antigos que ainda perambulam por aqui.

Tempo para repensar as minhas atitudes, as atitudes dos outros perante mim, e como tudo isso me afectou e continua a afectar, é o que eu preciso. Preciso perceber de uma vez por todas do que realmente necessito, pois aquilo que tenho vindo a querer (ou quem tenho vindo a querer) nos últimos anos não tem correspondido àquilo que me é necessário, entendo isso agora. Não quero com isto parecer estar-me a vitimizar, pois sei perfeitamente…

Conversas de Casa de Banho 6

vou transcrever para o caso de não se perceber:
"But the trouble with dreams is they're not what they seem and when you're awake they fall through your fingers in flakes(? acho que é esta palavra)

Conversas de Casa de Banho 5

eu creio que isto é um sítio estranho para pregar! mas isso é apenas a minha crença xD

Sentimentalismos

Quando as saudades se manifestam através de sonhos conseguem ser ainda mais dolorosas, pois assim que acordamos, voltamos à realidade e damo-nos conta de que a pessoa continua longe...
Já é a terceira vez esta semana.

Conversas de Casa de Banho 4

Esta estava a filosofar enquanto... 

Capítulo 11 - As Memórias de Clarice

Foi, eventualmente, o Fernando que me levou a casa. Ou direi melhor para casa, visto que ele me levou para a sua e não para a minha. Aquilo que me lembro da casa deve-se ao pequeno-almoço que tomei lá no dia seguinte, pois quando chegámos à noite eu não estava em condições de reparar em nada. Era pequena e acolhedora, com aquele aspecto típico de casa de homem solteiro, no entanto, minimamente arrumada.
Ele levou-me para o quarto para eu descansar e tentar curar a bebedeira, mas lembro-me de recusar deitar-me na cama, alegando que se o fizesse algo desastroso poderia acontecer aos seus lençóis. Acabei por cair em cima da cama, por me ter desequilibrado, facto que divertiu o Fernando, que se desatou a rir das minhas figuras. Ficámos a conversar até eu começar a sentir-me melhor e deixar de ver tudo em câmara lenta, até ficarmos os dois sonolentos. Tive que dormir na cama com ele, era a única cama da casa; o sofá da sala era de madeira, e apesar das almofadas serem fofas tive de impedir…

Pensamento da Noite 21

ser inteligente não é marrar nos livros como se não houvesse amanhã, ser inteligente é não estudar, não usar cábulas e tirar 17 (neste caso foi em alemão) ahahahah

10 coisas que não sabes sobre mim parte II

1 - dentro da minha mente aberta também existe espaço para uma parte conservadora de mim (parece contraditório, não é? mas é uma coexistência saudável)

2 - gosto de mimos, mas não de excesso deles: tudo o que é demais enjoa.

3 - não gosto (irrita-me) que me chamem fofa e linda em mensagens!

4 - o meu sonho mais básico é ter uma casa só minha antes de pensar em me juntar com alguém

5 - sim, sou individualista.

6 - odeio quando as pessoas engonham demasiado antes de tomar uma decisão ou quando temos que começar um qualquer trabalho em grupo (deriva da nº 5).

7 - "não vivo" sem música, sem livros e sem chocolate

8 - educação (dos pais) é o valor que mais me cativa; falta dela faz-me apetecer distribuir estalos (lol)

9 - sou um pouco violenta, porque parvoíces por mim corria-las à estalada, porém é só no pensamento mesmo.

10 - enjoei a Kizomba na terrinha (por mais estranho que possa parecer, visto que teria mais lógica ter enjoado na Margem Sul)

Deixar para trás para seguir em frente...

Deixar de falar com alguém, ou afastarmo-nos de alguém, não significa necessariamente que nos esquecemos dessa pessoa, ou que já não gostamos/simpatizamos com ela. Por vezes, significa apenas que essa pessoa pertence a um determinado tempo da nossa vida e que não cabe no nosso presente, no entanto, as memórias podem ou não continuar vivas - se for algo bom, logicamente que ficará. É assim o ciclo da vida: para conseguirmos seguir em frente é necessário deixar algo ou alguém para trás, porque nem todas as coisas nem todas as pessoas fazem parte do nosso presente, se assim fosse a nossa vida seria um autêntico caos, com o passado a interagir constantemente com o presente. Aliás, é exactamente isso que causa o caos na cabeça das pessoas, a incapacidade de deixar ir, deixar para trás; largar o passado e deixá-lo quieto onde ele está.

 Eu estou finalmente a aprender a dizer não às coisas que insistem em permanecer no meu presente, sem ser esse o seu devido lugar; insistem por culpa minha, …

Será Isto o Inicio do Fim?

Não ando muito faladora com ele, na verdade quando falo é apenas porque me recuso a acreditar no que está a acontecer, de certo modo. Não sinto vontade de lhe falar, ou melhor, sentir até sinto, mas a desmotivação é maior. Acredito que ele não se importe "muito por ai além" caso deixe de falar definitivamente, sei que, se isso acontecer, eu é que ficarei mais magoada. Isto faz algum sentido? Bom, pelo menos para mim faz.

A razão, ou as razões pelas quais eu me sinto tão desmotivada para meter conversa com ele ultimamente até são bastante simples: as conversas giram sempre em torno do mesmo; quando tento "inventar" um novo assunto deixa sempre as conversas a meio - o que não me costumava irritar tanto como irrita agora, talvez porque se há coisa que tem limites é a minha paciência. E eu até posso compreender as razões dele para deixar sempre a coisa a meio: pode estar ocupado com o trabalho, etc.; de facto, eu penso nisso, mas não me alivia a irritação visceral.

Ist…

Capítulo 10 - As Memórias de Clarice

Nem sei por onde começar, nem o que hei-de escrever. O mais provável é não acreditar nas minhas palavras. O que quero dizer é simplesmente que a amo; quero pedir perdão por toda aquela situação, mas não consigo conter os ciúmes cada vez que a vejo perto do professor Fernando. Não contei a ninguém o que aconteceu entre nós, e por isso fiquei todo aquele tempo calado, fingindo estar em estado de choque… não sei por quanto mais tempo vou aguentar mentir à minha família, os meus pais já andam desconfiados de que eu ando a esconder alguma coisa. Eventualmente terei de contar a alguém… a não ser que a professora o faça primeiro.
Foi isto que li quando retirei o papel que se encontrava dentro do envelope. Não vinha assinado, nem tinha data, nem qualquer tipo de cumprimento, apenas isto. De facto não seria necessária uma assinatura, eu sabia perfeitamente de quem era aquele bilhete que, apesar da declaração de amor simples e directa, me soou bastante a uma ameaça. Uma ameaça leve e subtil que…

Capítulo 9 - As Memórias de Clarice

O João ficou internado durante uma semana sem dizer uma palavra. Bom, pelo menos era o que me contavam, pois eu não podia ir visitá-lo ao hospital, os médicos achavam que não era aconselhável visto ter sido eu a causa do seu ataque - bem, os médicos diziam que eu tinha sido o alvo do seu ataque, mas eu sabia muito bem que, na realidade, tinha sido a causa.

Durante essa semana tentei agir com a maior normalidade possível, tentando-me concentrar nas aulas. No entanto, quando não estava entretida com as explicações sobre a matéria, ou com as conversas com o Fernando, mergulhava no meu sentimento de culpa e sentia-me a afogar. Devo confessar que, se não tivesse sido o Fernando a resgatar-me nesses momentos, eu provavelmente não estaria aqui a contar esta história.
Na sexta feira dessa semana acordei com o pressentimento estranho de que algo terrível estava prestes a acontecer; só não esperava que fosse assim tão terrível. Fui dar aulas com uma angústia no peito que me pesava de tal forma …

O Ressurgir da Fénix

Em Plena Época de Celebração da Ressurreição  "Sertã, 26/03/2013
No caminho para cá olhei para o céu; estava a chover imenso, no entanto, para lá das nuvens, via-se a luz do luar. Após uma curva, olhei de novo pela janela do autocarro e lá estava ela, em quarto crescente, a brilhar por entre as nuvens negras. Isto fez-me pensar que, mesmo numa grande tempestade se consegue encontrar uma saída, mesmo no meio de uma tempestade podemos brilhar. Muita coisa me fez mudar, quase apagou o meu brilho (não estou a ser convencida, todos temos o nosso brilho), tornei-me mais obscura, mais amarga (embora possa não parecer), mais desligada das pessoas... por essa razão peço desculpa aos que realmente importam, sei que tenho sido um pouco anti-social. Vocês sabem bem quem são (pelo menos assim espero)
Escorrem-me as lágrimas enquanto escrevo isto no caderno que usei como caderno das dedicatórias no 12º  ano; não resisti a lê-las novamente, e até as mais desajeitadas estão maravilhosas porque …

Pensamento da noite 15

odeio bichas modernas, metem-me noijo... estou rodeada delas e o mais engraçado é que não são nenhum dos meus amigos/conhecidos gays!

Há coisas fantásticas, não há?

Por vezes sinto que ando aos círculos nesta vida, afastando-me deles apenas por momentos.

Sou um pouco americana quando penso "everything happens for a reason" - tudo acontece por um razão, ou, por outras palavras, como costumo dizer em português, tudo acontece porque tem de acontecer - no entanto, não gosto muito de pensar nisto num sentido de predestinação, mas sim, no sentido em que tudo o que acontece serve-nos de aprendizagem, para o bem ou para o mal. Não perco muito tempo a pensar no que me está destinado, ou deixa de estar, considero que isso é uma perda de tempo, perdoem-me os crentes. Prefiro pensar que vou obter o que desejo por me esforçar, por lutar por isso, por trabalhar, não por estar escrito nas estrelas ou coisa do género; penso que seja uma forma mais saudável de ver a vida e de darmos valor a nós próprios, e de não nos sentarmos à sobra da bananeira à espera que chova ou faça sol.

E comecei a falar nisto porquê? Não me queria perder da verdadeira razão qu…

Acreditar ou não acreditar, eis a questão!

As palavras foram bonitas, as atitudes também, mas estou a chegar à fase em que já não acredito em ninguém, e quando tento acreditar sinto sempre aquela pontinha de desconfiança. Perdoa-me se estou a ser injusta, mas a vida fez isto comigo!

Para o que me havia de dar!

tenho preguiça.....




which means, I'm cute! *.*

Pensamento da Noite 14

acabo por me isolar do mundo porque me farto com facilidade das imperfeições das pessoas, principalmente daquelas que tendem a magoar-nos quando nós mais precisamos do exacto oposto!

Pensamento da Noite 12

passeando pelo face encontro uma imagem que alguém (um gajo) publicou que me deixou a pensar: se uma gaja se dá a todos é uma p***; se não se dá e quer esperar pelo momento certo, é recatada demais... já se decidiam!!
e depois nós é que somos complicadas!

Pensamento da Noite 11

chateia-me porque não falo e não desabafo... então eu finalmente desabafo.... e então fica chateado porque pensa que o desabafo foi estritamente sobre ele.... e então fica sem falar durante meses

faz sentido!!!

Pronto Passei-me

tou farta de falta de conversa

tou farta de piadas, tou farta de não ter conversas realmente interessantes
tou farta que me estejam sempre a dizer as mesmas merdas
tou farta de piadas sexuais
tou farta
tou farta de tentar falar sobre algo que realmente me interessa e assim que têm oportunidade mudam de assunto
tou farta de "falar sozinha" pq qnd tenho assuntos ninguém continua a conversa
tou farta que me estejam sempre a dizer "gosto de ti" e bla bla bla qnd nem sequer me deixam realmente falar
tou farta
e depois ficam admirados pq eu não falo, pq eu não brinco mais, pq eu já não mando piadas, pois não
fartei-me
sinto-me vazia
preciso de pessoas que interajam comigo devidamente e não só para mandar piadinhas

 chega
 tou farta de conversas superficiais

"gosto de ti"

Posso até estar enganada, mas tenho notado que ultimamente - com isto quero dizer, nos últimos anos - as pessoas deixaram de dizer "amo-te", substituindo com um simples "gosto de ti". Antes que pensem que estou aqui a criticar alguém, digo já que contra mim falo também. Aparentemente "gosto de ti" é muito mais fácil de dizer, não tem a carga emotiva e sentimental de um "amo-te", é mais leve digamos assim. Mas isto levanta problemas, pois sinto que é bem mais complicado uma rapariga dizer "gosto de ti" para um amigo, ou vice-versa, sem ser mal interpretada(o). Quando digo isto, noto que, das duas uma, levo com aquele olhar de quem fica desconfiado ou desconfortável porque pensa logo que por de trás daquele "gosto de ti" está uma espécie de paixão, ou então com aquele olhar de quem fica extremamente esperançoso pois sempre sentiu o mesmo. Quase me sinto obrigada a acrescentar ao "gosto de ti" isto: 'no sentido bás…

Full of Emptiness

Nem sei por onde começar, ou se realmente deveria estar a escrever aqui. Parece que tentei em vão fingir que o vazio que me preenche já não existia. "Full of Emptiness", dei este nome ao blog - que começou por ser um pequeno blog na rede MySpace - por ter sido criado numa das alturas mais obscuras da minha vida em que tudo o que sentia era apenas um enorme vazio; sentia-me oca, tentava por tudo não me arrepender das decisões que tomara até então, sentia-me incapaz fosse lá do que fosse, não confiava em quase ninguém porque sentia que a qualquer momento me iriam magoar. Mas pior que isso, não confiava em mim própria.

Tenho uma ideia de quando todo este turbilhão de emoções começara, é provável que tenha começado entre o ano em que acabei a secundária e o ano seguinte. Não esperem que aponte culpados, afinal de contas ninguém pode ser culpado por sentimentos que não controla.
O certo é que esse vazio está longe de ser preenchido; ainda tenho um longo caminho pela frente. Penso…

Desabafo

"Fiquei frustrada com o que aconteceu, não que tenha sido mau, mas porque estava extremamente nervosa e isso fez com que eu não conseguisse fazer o que realmente queria, da maneira que queria; odeio quando isso acontece. Não gosto de parecer que faço publicidade enganosa. Estava nervosa porque não te quero prejudicar de maneira nenhuma, não parava de pensar no que poderia acontecer se aparecesse alguém. A mim não me aconteceria nada, nada tenho a perder, mas tu sim. Simpatizo demais contigo para te querer fazer mal, não iria suportar se algo corresse mal. 
Se quero repetir? Não me importava, até gostava; mas não vou, de forma alguma, andar atrás de ti feita maluquinha de Arroios. Terás de ser tu a dizer se queres ou não."

Agora ou vai ou racha!

"só vês o teu lado, é incrível, cada vez que eu estou mais fria, vais sempre buscar coisas que eu disse! e que tal começares a ler tb as coisas que tu dizes e interpreta-las? eu disse desde o inicio, que o que mais me irrita são pressões, e o que é que tu fazes? pressionas! eu não posso ficar 5 min sem responder já levo com grandes dramas; e por mais que digas para não ligar, é impossivel, pq tu só dizes para eu não ligar e que eu não tenho de te dar justificações e pedes desculpa, só depois de já teres feito com que eu te desse explicações, só depois de já teres feito o drama... porque é que em vez de pedires tantas vezes desculpa, não evitas ter de pedi-las?? eu senti-me atraida por ti, sim é verdade, mas isso desapareceu porque provavelmente nao era forte o suficiente, e nao culpes outras pessoas (a pessoa de quem eu gostava) por isso, como já o fizeste uma vez, qnd disseste que tudo mudou por causa dele. a culpa não é dele. tás com problemas? olha tb eu!! sabes o que me acon…

Reflexão de última hora!

Estava a ouvir a nova música do Justin Timberlake no youtube; enquanto o video estava a carregar fui lendo os comentários. Aparte dos comentários a gozar com o outro Justin que anda aí, li muitos comentários dizendo que a música não é nada de especial, que estão desapontados por esperarem tanto tempo por uma música tão "lame". É verdade que também não gostei logo da música, até porque não gosto do Jay-z, mas conforme fui ouvindo, fui começando a ficar viciada e a letra não sai da cabeça. Pensei um pouco e cheguei a uma conclusão: as pessoas habituaram-se de tal forma ao Pop fácil, aquele que se ouve e se gosta logo, mas que, no entanto, passado alguns dias já cansa, que já não sabem digerir uma música. A música é como a comida, é para se saborear, se comermos rápido nem sentimos o gosto e o mais provável é ficarmos com dores de estômago!
Posto isto, estou desejosa de ouvir o álbum inteiro, porque já tinha saudades de boa música pop.

Capítulo 8 - As Memórias de Clarice

Passaram-se quatro dias após o que aconteceu entre mim e o João na arrecadação da escola. Lembro-me que tivemos uma discussão pois eu queria esquecer o que tinha acontecido, mas ele dizia que eu não podia esquecer, pois ele também não esquecia. A sua obsessão por mim estava a tornar-se patológica: seguia-me para todo o lado; se me visse a falar com o Fernando, mais tarde vinha pedir explicações; estava a tornar-se agressivo. Perguntava-me muitas vezes como seria possível um rapaz tão aplicado, gentil e meigo ter-se transformado em algo totalmente oposto. Ao inicio culpava-me, culpava o que tinha acontecido naquela arrecadação, culpava-me por não ter impedido; mas será que tinha realmente culpa? Aquilo aconteceu porque ambos quisemos, ele sabia que eu não podia assumir nenhum compromisso com ele; ele é menor, mas já não é nenhuma criança para não perceber isso. Algo ocorreu-me; talvez tivesse sido a sua primeira vez e isso o tenha deixado com um certo sentimento de possessão. Bom, no e…

Capítulo 7 - As Memórias de Clarice

Foi extremamente complicado desprezar o João; cada vez que ele intervinha numa aula eu respondia-lhe secamente. Notei claramente a tristeza na sua cara, mas tinha de ser, eu não queria ser despedida. Tinham-se passado quatro dias desde aquele beijo inoportuno; eu estava a arrumar algum material na arrecadação quando senti a presença de alguém, olhei para trás e lá estava ele a olhar para mim.
- O que estás aqui a fazer? Não tens aula agora?
- A professora faltou.
Fechou a porta e, antes que eu me apercebesse, trancou-a.
- Importaste de explicar o estás a fazer? Destranca a porta!
- Não. Precisamos conversar.
- Dá-me a chave!
- Não, a Clarice não vai sair daqui enquanto não falarmos.
- Muito bem, então começa e sê rápido, tenho mais do que fazer do que estar aqui a ouvir lamurias de um miúdo!
- Lamurias de um miúdo??
Aquilo deve ter-lhe afectado a auto-estima, quis provar-me algo, então começou a despir-se.
- O que é que estás a fazer?!
- A lamuriar-me!
- Deixa-te de gracinhas! Veste-t…

Lie With Me

"I couldn't put words to what was going on but my stomach felt like it was going to erupt under my skirt. My body getting these warm continuous blows. I thought every person in that bar could feel it coming off me. I mean, how much I wanted. How I could've fucked all of them. It's always the same, I thought, getting sex like this is always the same! The man started laughing with me, as if he knew why I was laughing."

 - Lie With Me, by Tamara Berger
Nunca pensei que alguma vez fosse fazer tal coisa, mas ali estava. Acatei as suas indicações e fui em direcção à casa de banho, enquanto ele distraia dois senhores que faziam compras. Fiquei à espera. A porta abriu-se e eu assustei-me, ao pensar que poderia ser uma outra empregada dali, mas era ele. Entrámos para o cubículo da casa de banho, sem dizer uma palavra. Encostámo-nos, cada um numa parede, de frente um para o outro. Até que ele por fim disse "sempre voltaste", ao que eu simplesmente respondi "…