Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2013

"gosto de ti"

Posso até estar enganada, mas tenho notado que ultimamente - com isto quero dizer, nos últimos anos - as pessoas deixaram de dizer "amo-te", substituindo com um simples "gosto de ti". Antes que pensem que estou aqui a criticar alguém, digo já que contra mim falo também. Aparentemente "gosto de ti" é muito mais fácil de dizer, não tem a carga emotiva e sentimental de um "amo-te", é mais leve digamos assim. Mas isto levanta problemas, pois sinto que é bem mais complicado uma rapariga dizer "gosto de ti" para um amigo, ou vice-versa, sem ser mal interpretada(o). Quando digo isto, noto que, das duas uma, levo com aquele olhar de quem fica desconfiado ou desconfortável porque pensa logo que por de trás daquele "gosto de ti" está uma espécie de paixão, ou então com aquele olhar de quem fica extremamente esperançoso pois sempre sentiu o mesmo. Quase me sinto obrigada a acrescentar ao "gosto de ti" isto: 'no sentido bás…

Full of Emptiness

Nem sei por onde começar, ou se realmente deveria estar a escrever aqui. Parece que tentei em vão fingir que o vazio que me preenche já não existia. "Full of Emptiness", dei este nome ao blog - que começou por ser um pequeno blog na rede MySpace - por ter sido criado numa das alturas mais obscuras da minha vida em que tudo o que sentia era apenas um enorme vazio; sentia-me oca, tentava por tudo não me arrepender das decisões que tomara até então, sentia-me incapaz fosse lá do que fosse, não confiava em quase ninguém porque sentia que a qualquer momento me iriam magoar. Mas pior que isso, não confiava em mim própria.

Tenho uma ideia de quando todo este turbilhão de emoções começara, é provável que tenha começado entre o ano em que acabei a secundária e o ano seguinte. Não esperem que aponte culpados, afinal de contas ninguém pode ser culpado por sentimentos que não controla.
O certo é que esse vazio está longe de ser preenchido; ainda tenho um longo caminho pela frente. Penso…

Desabafo

"Fiquei frustrada com o que aconteceu, não que tenha sido mau, mas porque estava extremamente nervosa e isso fez com que eu não conseguisse fazer o que realmente queria, da maneira que queria; odeio quando isso acontece. Não gosto de parecer que faço publicidade enganosa. Estava nervosa porque não te quero prejudicar de maneira nenhuma, não parava de pensar no que poderia acontecer se aparecesse alguém. A mim não me aconteceria nada, nada tenho a perder, mas tu sim. Simpatizo demais contigo para te querer fazer mal, não iria suportar se algo corresse mal. 
Se quero repetir? Não me importava, até gostava; mas não vou, de forma alguma, andar atrás de ti feita maluquinha de Arroios. Terás de ser tu a dizer se queres ou não."