14 anos depois

Vou escrever isto porque sei que ele não se vai dar ao trabalho de ler, portanto aqui vai.

Em 1998, quando entrei para o 5º ano, conheci um rapaz a quem vou chamar simplesmente L. Ele era da minha turma; naquele ano não lhe dei muita atenção, mas no 6º ano algo me atraiu nele, já não me lembro como tudo começou, sei apenas que foi a sua sensibilidade que me cativou. Passei os 6 anos seguintes apaixonada por ele, mesmo estando a quilómetros de distancia quando andava na secundária. Só deixei de o amar quando conheci uma outra pessoa no 12º ano.
Bem, mas a minha história com o L começa em 2005, nas férias de verão que vim passar à margem sul (curiosamente, antes de entrar para o 12º ano e, eventualmente, "esquecê-lo"). Fui ter à casa dele, era para ser simplesmente uma visita de velhos amigos que já não se viam há muito tempo, mas transformou-se em mais do que isso. Ele começou na brincadeira comigo, a dar-me toques nos braços, como se me estivesse a bater, a beliscar-me e, de um momento para o outro, quando dou por mim já estou deitada na cama com ele por cima de mim. Quis evitar, quis dar-lhe um estalo, mas tudo o que consegui foi dar-lhe um toquezinho na cara; porque, na realidade, tinha esperado por aquilo durante muito tempo. O que poderia ter sido a primeira vez, não o foi, pelo simples facto de estar lá em casa a avó dele. Para escaparmos ao inconveniente de podermos ser apanhados, ele foi buscar a chave do sótão e, saindo de fininho de casa, subimos as escadas do prédio que dão acesso ao sótão. O que aconteceu naquele sótão veio-se a repetir durante os anos seguintes. Uma, duas, três, quatro... N vezes, até aos dias de hoje.
Não sei o que me faz ceder, 14 anos depois continuo sem conseguir recusar.

Mensagens populares deste blogue

Personalidade Fraca ou Simplesmente Falta dela

Educação vs Formação

Pensamento Hipotético (1)