Mensagens

A mostrar mensagens de 2015

Desacreditei

Desacreditei!
Nunca mais me declaro a ninguém. Nunca mais digo o quão importante a pessoa é. Nunca mais me rebaixo ao ponto de mostrar as minhas fraquezas a alguém que é apenas "aparentemente confiável".
O amor é uma utopia.
Desacreditei!
Dou demais. Sinto demais. Preocupo-me demais. Com quem não me vê sequer. Com quem não me quer ver sequer.
Refiro-me a ver no sentido lato.
Desacreditei!
Desacreditei porque me magoaram tanto, aqueles que eu julgava estarem acima de qualquer coisa.
Magoaram-me porque por dentro sou um turbilhão de emoções que às vezes nem eu própria compreendo, mesmo quando a aparência demonstra uma calma inviolável; sinto dez vezes mais do que o comum mortal aquilo que me fazem.
Desacreditei porque em tempos acreditei demais.
Por acreditar demais em quem queria demenos, fiz outros desacreditarem também.

O que é que queres?..... Quero-te a ti

Preciso de alguém que me oiça
Não apenas que me veja falar
Preciso de alguém que compreenda os meus sonhos e aspirações
E que queira sonhar comigo

Pensei que fosses esse alguém e, para dizer a verdade, ainda não perdi totalmente a esperança
Talvez não fosse o momento
Talvez não fosse aquele o nosso tempo
Talvez no futuro todos os "talvez" se tornem certezas absolutas
e tu me queiras como eu te quero a ti...
E talvez percebas que, quando perguntaste o que eu queria, a minha resposta espontânea foi a mais sincera

Estou Cansada

Estou cansada das pessoas. Estou cansada das pessoas e das suas hipocrisias e falsos moralismos. Estou cansada da imbecilidade e falta de tacto; da estupidez, da fraca argumentação, capacidade de conversação e da falta de cultura da sociedade. Às vezes sinto que não pertenço a este mundo, sinto-me deslocada, como se devesse ter nascido noutro tempo, noutro mundo.

Estou cansada das pessoas que conheço (não me levem a mal). Estou cansada daquele tipo de pessoa que é muito amiga, fala muito bem e de repente, sem nada que o justifique, deixa de falar; afinal já não somos amigos, trata-me mal se for preciso. Na realidade estou tão farta de pessoas assim que acho que me estou a tornar num ser igual a elas. Paga o justo pelo pecador, peço perdão por isso, mas de facto já não tenho paciência.

É verdade que sinto saudades, mas não me apetece falar, não me apetece estar com as pessoas. Estou a tornar-me em alguém que nem eu própria reconheço: mais fechada que o normal, mais calada que o normal,…

10 coisas que não sabes sobre mim parte IV

1 - antes de adormecer, imagino conversas que gostaria de ter com algumas pessoas

2 - estou quase sempre às escuras no meu quarto

3 - já fiz "coisas que não devia" em locais públicos

4 - já andei de ambulância... no Avante!

5 - sou de direita, mas gosto do Avante!

6 - não gosto de pessoas controladoras e/ou demasiado melosas

7 - odeio que me digam "estás tão magrinha!" (tipo eu sei, tu tb estás gorda e eu não digo nada, bitch!)

8 - adoro estar no comando (seja em que situação for)

9 - tenho imensos guilty pleasures na música

10 - quero ter dois filhos

11 (bónus) - odeio o César (LOL)

A Famosa Pergunta

Existe aquela típica pergunta da praxe: "O que te atrai mais num homem?" ou, noutra versão, "Qual é a primeira coisa em que reparas num homem?".
Durante muito tempo eu não soube responder realmente a esta pergunta, pois todos os rapazes por quem já me apaixonei são completamente diferentes uns dos outros: altos, baixos, magrinhos, cheiinhos, com ar de galã de cinema, sem ar de galã de cinema, com curso superior, sem curso superior, etc. Nunca tive um estereótipo e são raras as vezes em que encontro características em comum entre eles. Também nunca fui do tipo "esquisitinha" em relação à parte física porque, na maior parte das vezes, apaixono-me por convivência.
Posto isto, até poderia dizer que o que me atrai é a personalidade, isso seria muito bonito e politicamente correcto... mas mentira. Sejamos francos, numa primeira impressão ninguém repara nessas balelas bonitinhas e polidas.

Portanto, voltando ao cerne da questão, depois de muita introspecção e au…

Essa tal de quem falas... Ela Morreu

Ela morreu.
Ela morreu e as pessoas têm de interiorizar isso. De uma vez por todas.
Essa pessoa que outrora habitava este corpo já não existe. Desapareceu, ficou presa num lugar tão longínquo como o passado, dando lugar a uma nova pessoa.
Esta nova pessoa sente-se mais madura, menos impulsiva. Tem objectivos de vida mais vincados, por entre os quais não existe espaço, nem tempo, para aventuras banais que não lhe tragam qualquer conforto ou paz de espírito.

Há quem não entenda, há quem nem sequer faça um esforço para entender, mas na realidade ela não precisa que entendam. Ela só precisa que a deixem ser quem almeja, sem julgamentos ou cobranças.

Houve alguém que lhe disse uma vez: "Mereces alguém que te trate como uma princesa"
Agora ela percebe, só ela tem o dever de se tratar como uma princesa, pois só assim encontrará alguém que a trate como uma Rainha.

Pensamento(s) da Noite 51

Era tão melhor quando éramos tu e eu
- os teus amigos
- os meus amigos

51.1
É engraçado como se estão pouco importando se eu ando triste e deprimida, se preciso de um ombro, se ando com o cérebro cheio de coisas e problemas, mas depois acham que e tenho tempo e paciência para engendrar complôs!

51.2
Tenho o cérebro a arrebentar de problemas e ainda se admiram de eu não me lembrar de tudo o que me dizem... porque pura e simplesmente me entra por um ouvido a 100 e sai pelo outro a 200, pois o meu "disco rígido" já não tem mais espaço.

51.3
Ando deprimida, vulnerável, sensível e a sentir-me desamparada por quem não devia desamparar-me, e quando assim estou, infelizmente, é muito fácil manipular-me

51.4
Por isso, quem se está a sentir vítima de um complô (voluntário ou não) sou eu.

51.5
Dou-me bem com toda a gente, gosto de me dar bem com toda a gente... se tiver algum problema realmente grave com alguém eu falo e digo na cara. Se nunca o fiz/fizer é porque na realidade não me a…