Leidenschaft - A Paixão Inesperada

Há muito tempo que sabia o seu nome, que idade tinha, de onde vinha. O meu melhor amigo falava-me dele muitas vezes, tantas que por vezes parecia que já o conhecia, mas não passava disso: uma pessoa que apenas conhecia por ouvir falar dela.
Começou por ser uma brincadeira entre mim e o meu melhor amigo, picardia recorrente durante os nossos cafés, piadas sobre quem levaria o "prémio". No entanto, inconscientemente, comecei a reparar mais nesse rapaz cada vez que o via, ou estávamos com ele. Comecei por gostar dos seus trejeitos, do seu sorriso, do seu riso. Comecei a querer saber mais sobre ele; embora seja difícil às vezes, devido a uma certa timidez de ambas as partes. Pergunto-me, porquê? Por que razão me apego tão depressa a alguém? Comecei a pensar nele quando acordava e, quando ia dormir, sonhava com ele. Comecei a sentir-me irritada cada vez que alguém tentava chegar perto dele, metaforicamente falando, através de piadas. Comecei a sentir saudades.
Foi então que percebi... oh o que foste tu fazer à tua vida? Pensava que ia ficar descansada depois de um amor impossível e tortuoso. Mas aqui estou eu, frente a frente com ela, aquela enorme P., que nos consegue consumir, tirar-nos todas as forças e qualquer resto de raciocínio lógico. Falo-vos, pois, da Paixão.

Mensagens populares deste blogue

Personalidade Fraca ou Simplesmente Falta dela

Educação vs Formação

Pensamento Hipotético (1)