A Famosa Pergunta

Existe aquela típica pergunta da praxe: "O que te atrai mais num homem?" ou, noutra versão, "Qual é a primeira coisa em que reparas num homem?".
Durante muito tempo eu não soube responder realmente a esta pergunta, pois todos os rapazes por quem já me apaixonei são completamente diferentes uns dos outros: altos, baixos, magrinhos, cheiinhos, com ar de galã de cinema, sem ar de galã de cinema, com curso superior, sem curso superior, etc. Nunca tive um estereótipo e são raras as vezes em que encontro características em comum entre eles. Também nunca fui do tipo "esquisitinha" em relação à parte física porque, na maior parte das vezes, apaixono-me por convivência.
Posto isto, até poderia dizer que o que me atrai é a personalidade, isso seria muito bonito e politicamente correcto... mas mentira. Sejamos francos, numa primeira impressão ninguém repara nessas balelas bonitinhas e polidas.

Portanto, voltando ao cerne da questão, depois de muita introspecção e auto-análise, dei-me conta que a primeira coisa em que reparo num homem é... a maneira de falar.
A voz, o tipo de palavras que utiliza, se é muito ou pouco asneirento, se abusa da gíria ou não. De um modo geral, sempre gostei de pessoas que sabem falar, por isso, não é tão surpreendente assim.

Eu seria incapaz - por exemplo - de namorar, ou ter seja lá o que for, com aquelas criaturas que usam "boy" como se de pontuação se tratasse. É pura e simplesmente irritante! Da mesma forma, nunca me sinto atraída por gajos que falam como se toda a gente sofresse de problemas auditivos e se tenha esquecido do aparelho em cima da mesa de cabeceira (agora que penso nisso, todos os rapazes de quem gostei têm um tom de voz relativamente baixo).

Quase aposto que quem ler isto há-de pensar: "uuh ela é tão hipster", mas garanto que estou a ser sincera, não o estou a dizer/escrever só "para inglês ver", só para parecer bem.
Não vou ser hipócrita e, é óbvio, que se um rapaz giro me aparecer à frente eu vou reparar. Mas a partir do momento em que abrir a boca... aí sim, eu vou saber se me atrai ou não.

Num sentido mais vasto e profundo, gosto de pessoas que saibam conversar, que não estejam a fazer um esforço enorme para encantar uma mulher, simplesmente encantam sem terem de recorrer a faltas de nível e a conversas de bordel. [houve uma pessoa que soube fazer isto tão bem, damn you, if you're reading this]
Não estou a tentar parecer pudica, não tenho moral para isso, nem nunca seria bem sucedida a tentá-lo. Sei rir-me de piadas pervertidas, no entanto, inteligentemente pervertidas e não a um nível "trolha".
Aprendam: nível "trolha" só tem piada - quando tem - em anedotas!

Mensagens populares deste blogue

Personalidade Fraca ou Simplesmente Falta dela

Educação vs Formação

Pensamento Hipotético (1)