Uma Espécie de Dejá vu

Estava a ver uma série que costumo ver aos sábados (The Carrie Diaries, btw) quando, durante uma cena, tive uma espécie de dejá vu.
Walt - uma das personagens - é um rapaz que descobriu recentemente que afinal de contas é gay, depois de ter namorado com Maggie durante anos. Esta última quando soube ficou transtornada, deprimida e chateada com ele pois achou que o facto de ele não a amar da mesma forma significava que ela não era digna e que não tinha qualquer valor.
Bom, na cena em questão a Maggie decidiu pedir desculpas ao Walt por ter sido dura com ele. Após alguma conversa Walt diz que o facto de ele não a amar não tem nada a ver com ela, que ela tem de parar de pensar nela própria como sendo alguém indigno e que merece alguém que a ame.

Agora o porquê do dejá vu. Passei por uma situação semelhante e aquela cena lembrou-me uma outra que ocorreu na vida real, na minha, nas escadas da porta lateral de uma Igreja. As palavras que ouvi foram parecidas com as que a Maggie ouviu, e foi a partir daquele momento que também em mim se fez luz.
Eu acredito que tudo na vida acontece por uma razão e, por mais transtornada e perdida que tenha ficado ao início - e fiquei bastante -, o certo é que toda essa situação fez com que me valorizasse mais. Se por um lado perdi alguém que me amasse no sentido primitivo do amor, por outro ganhei alguém que me ama pelo que sou, como sou e sem julgamentos, que me faz sentir importante e que não é qualquer um que me merece (bom esta última... I'm still working on it lol).

Mensagens populares deste blogue

Personalidade Fraca ou Simplesmente Falta dela

Educação vs Formação

Pensamento Hipotético (1)