O Ressurgir da Fénix

Em Plena Época de Celebração da Ressurreição 

"Sertã, 26/03/2013

No caminho para cá olhei para o céu; estava a chover imenso, no entanto, para lá das nuvens, via-se a luz do luar. Após uma curva, olhei de novo pela janela do autocarro e lá estava ela, em quarto crescente, a brilhar por entre as nuvens negras. Isto fez-me pensar que, mesmo numa grande tempestade se consegue encontrar uma saída, mesmo no meio de uma tempestade podemos brilhar.
Muita coisa me fez mudar, quase apagou o meu brilho (não estou a ser convencida, todos temos o nosso brilho), tornei-me mais obscura, mais amarga (embora possa não parecer), mais desligada das pessoas... por essa razão peço desculpa aos que realmente importam, sei que tenho sido um pouco anti-social. Vocês sabem bem quem são (pelo menos assim espero)

Escorrem-me as lágrimas enquanto escrevo isto no caderno que usei como caderno das dedicatórias no 12º  ano; não resisti a lê-las novamente, e até as mais desajeitadas estão maravilhosas porque me fizeram lembrar uma parte de cada um de vós que ainda permanece comigo! Nessa altura eu tinha um objectivo - na realidade sempre tive esse objectivo desde muito pequena - acabar o 12º ano, entrar para a faculdade e ser bem sucedida profissionalmente, Esse sempre foi o meu primeiro objectivo, deixando para segundo plano namorados, maridos, filhos.

Infelizmente sonhos tiveram de ser adiados (recuso-me a dizer postos de parte, como se fosse algo definitivo) por razões várias. Mas não vale a pena tentar encontrar culpados, ou as situações/circunstâncias que levaram a isso. Apenas me culpo a mim, por ter deixado pessoas tomarem conta das minha emoções, desviando-me do meu principal objectivo nesta vida - aquele em que eu pensava cada vez que brincava às empresas quando era pequena. Pois sempre senti que tinha algo a provar ao mundo... não sei porquê... ou talvez saiba... 

Sou cristã católica não praticante, mas devo dizer que é bastante interessante tudo isto vir à tona dos meus pensamentos em plenas férias da Páscoa. Tal como Cristo ressuscitou, prometo ressurgir das cinzas em que me enterrei nos últimos anos e começar de novo para valer. Deixo isto escrito aqui e levarei este caderno comigo de volta para a Amora para reler - todas as vezes que este demónio reaparecer e me tentar puxar para baixo - tanto as dedicatórias de quem muito significa para mim, como esta minha promessa: não voltarei a deixar que ninguém interrompa o meu caminho; voltarei a ser a pessoa que era, pelas pessoas que acreditaram e acreditam em mim, pela família, mas principalmente e acima de tudo, por mim. 

A Sertã foi um ponto de viragem na minha vida, aqui consegui ser quem realmente sou (não descurando todas as pessoas que conheci desde a infância na minha terra, Amora; não levem isto a mal). A genuinidade das pessoas permitiu-me ser genuína, mesmo sabendo que não agradava a todos, mas isso não me importava, pois sabia que quem gostava realmente de mim aceitava-me como sou. 
Foi maior o choque de sair da serra, cheia de pinheiros e eucaliptos, e voltar para a selva de betão, do que o contrário, embora no 10º ano tenha chorado durante um mês inteiro com saudades dessa selva.
Quatro anos depois eu já não me recordava da frieza das pessoas na cidade, não estava preparada para a voltar a enfrentar. 

Penso estar agora.... enfrentarei os ventos mais gélidos com um sorriso na cara, porque lágrimas só se forem de alegria ou emoção. Se tiver de deixar pessoas para trás para conseguir seguir em frente deixarei... sem arrependimentos, pois se o tiver de fazer com certeza não será com aqueles que realmente valham a pena. Afastar-me-ei de quem tentar desligar a minha racionalidade novamente. Não colocarei os interesses de ninguém à frente dos meus. Pois era assim que eu era, e é assim que tenciono voltar a ser....

02h29min."

Mensagens populares deste blogue

Personalidade Fraca ou Simplesmente Falta dela

Educação vs Formação

Pensamento Hipotético (1)