Dou-me melhor com o sexo oposto, e então??

Quando entrei para a pré-primária do Externato Sol Nascente*, tinha eu 3 anos, as primeiras pessoas com quem comecei a falar foram dois rapazes... o Tiago F. e o Zé M.. Lembro-me que costumávamos fingir adormecer na hora da sesta e quando víamos que a senhora (cujo nome não me consigo lembrar, que cena), que tomava conta de nós nessa hora, tinha adormecido, levantávamo-nos os três e ficávamos a brincar, tentando fazer pouco barulho. Claro que mais tarde, a partir da primeira classe, comecei a ter grandes amigas, no entanto atrevo-me a dizer que desde sempre me dei melhor com rapazes.
Tinha um amigo, que era o meu melhor amigo, mesmo depois de termos saído do externato, chamava-se Bruno J. Ele era super querido comigo, tratava-me por Joaninha sempre que me via e como morava na rua aqui em frente encontrávamo-nos várias vezes.

Na E.B. 2/3 Pedro Eanes Lobato* as coisas foram um pouco diferentes, até porque naquelas idades rapazes e raparigas "odeiam-se" lol. No 5º ano andava constantemente à porrada com um rapaz da minha turma, o mais engraçado era que parecia que os professores adivinhavam, pois nas aulas punham-nos sempre juntos. O curioso é que dentro da sala de aula, na mesma carteira nós dávamo-nos bem, não sei explicar o que nos acontecia assim que atravessávamos a porta quando tocava para o intervalo. No entanto, no 7º ano as coisas mudaram, eu e esse rapaz (outro Tiago) almoçávamos muitas vezes juntos na cantina da escola e passávamos a hora de almoço juntos o que fez com que nos começássemos a dar bem, ficámos bastante amigos comparando com o passado! Chegámos até a trocar confissões, o facto de nos darmos tão bem até quase irritava o rapaz de quem eu gostava na altura, pois não caía de amores pelo Tiago. (facto esse, que este último percebeu e por vezes fazia ou falava coisas comigo à frente dele só para o espicaçar) Ahahah

Na Secundária da Sertã* tínhamos o nosso grupinho de amigas, andávamos sempre juntas, amizades essas que ainda hoje estão vivas! No 12º comecei a dar-me muito bem com o rapaz que entrou para a nossa turma e no entretanto ele tornou-se um dos meus melhores amigos, ainda hoje confio muito nele, apesar de não falarmos muito devido à distância de 200 e tal km.
Hoje tenho quatro melhores amigos, três deles são rapazes.
Não sei o que me leva a confiar mais em rapazes, o que é certo é que confio e acabo sempre por conhecer mais rapazes que raparigas. Não o faço propositadamente, como muita gente de mentalidade anoréctica possa pensar, apenas calha. Muitas vezes prefiro "confessar-me" a  rapazes, embora também goste de falar com as minhas amigas obviamente.

Penso que os rapazes, enquanto amigos (claro), não são tão traiçoeiros como as raparigas, talvez seja por isso. Se forem realmente amigos, ouvem e dão opinião sem nos olharem com aquele ar critico e acusativo, como muitas raparigas olham.

P.s.: Acabou de me surgir aqui uma possibilidade que me ajudou a compreender o facto de só haverem padres e não madres a dar a missa ou a ouvir confissões... a mulheres são mais velhacas que os homens (principalmente umas para as outras), uma madre a ouvir confissões se calhar não era boa ideia! LOL

*deviam-me pagar a publicidade lolol

Mensagens populares deste blogue

Personalidade Fraca ou Simplesmente Falta dela

Educação vs Formação

Pensamento Hipotético (1)