Capítulo 6 - As Memórias de Clarice

Não conseguia dormir de maneira nenhuma nessa noite pois a imagem do João e daquele beijo não me saía da cabeça. Só pensava no que teria passado pela cabeça do miúdo para fazer tal coisa sabendo perfeitamente que isso me podia prejudicar enquanto docente daquela escola. Acabei por adormecer devido ao cansaço do cérebro.
Acordei suada, olhei para o lado e o João ali estava, deitado a meu lado a dormir. Vi que não tinha roupa alguma no corpo e fiquei sobressaltada; olhei para mim e também eu estava despida. Só pensava no que teria acontecido, não me conseguia lembrar sequer de como tínhamos ido ali parar; o João mexeu-se, abriu os olhos e disse:
- Sempre quis que isto acontecesse.
De repente senti uma sacudidela, como se alguém me estivesse a abanar com força. As imagens tornaram-se desfocadas e eu abri os olhos. O Fernando estava à minha frente:
- Estava difícil de te acordar. Estou aqui há quase 10 minutos a abanar-te.
Fiquei aliviada por ter sido apenas um sonho, mas ao mesmo tempo senti-me um pouco desapontada; tentei afastar esse sentimento virando-me para o Fernando:
- O que raio estás aqui a fazer? A minha mãe disse que não te queria mais aqui.
- Eu sei, mas já falei com ela. Disse-lhe que precisava conversar contigo sobre uns assuntos da escola.
- E tens mesmo?
- Bem, temos que conversar... não são propriamente assuntos da escola, mas está relacionado.
Deduzi o que vinha a seguir.
- Podes começar então...
- Tenho ouvido uns comentários nos corredores, entre os alunos e também entre professores, gostava que me dissesses se são verdadeiros.
- Que rumores?
- Penso que sabes do que estou a falar, mas eu digo-te. Ainda ontem estava a passar no corredor perto do bar e ouvi um grupo de miúdos a dizerem que a professora Clarice tem um caso com o seu aluno preferido, o João. É verdade.
Acho que fiquei com cara de choque e corei ao mesmo tempo, no entanto, respondi:
- Claro que não! Mas anda tudo maluco?
- Tens a certeza?
- Lógico!!
- Sinto que me estás a esconder algo... Vá somos amigos, podes falar.
- Hmmmm... ele beijou-me, ontem...
- O quê? Estás a falar a sério?
- Estou. Ele diz que está apaixonado por mim; posso ser sincera?
- Podes!
- Aquele beijo não me foi indiferente, mas eu sei que é errado. O que devo fazer?
- Afastares-te dele.
- Mas ele é meu aluno...
- Eu sei, mas basta não lhe dares tanta atenção, tratá-lo como tratas os outros, em vez de o tratares como o teu preferido. Senão já sabes o que te pode acontecer...
- Tens razão.

Mensagens populares deste blogue

Personalidade Fraca ou Simplesmente Falta dela

Educação vs Formação

Pensamento Hipotético (1)