Prisão Emocional (5º capitulo)


- Eu amo-te! Custa assim tanto dares-me uma oportunidade? É incrível como dás valor a pessoas que não merecem e a mim tratas como se eu fosse lixo... nunca tentas, ficas sempre na promessa, eu nunca vi resultados...


Bruno tinha telefonado a Isabel nesse dia, o discurso foi de tal maneira enorme que ela nem se conseguia lembrar de metade das coisas que ele lhe dissera. Mas as suas palavras continuavam a martelarem-lhe na cabeça como se não conseguisse ouvir nada mais. Eram palavras injustas algumas, do ponto de vista de Isabel. Não sabia o que fazer, não o queria magoar, por isso não aceitava ficar com ele novamente, mas por outro lado sabia que ele também estava a sofrer pela rejeição. Mas afinal o que é mais justo? Sofrer pela rejeição, ou viver numa ilusão e acabar magoado na mesma? A cabeça de Isabel parecia um moinho de vento a rodar em toda a velocidade e sem chegar a lado nenhum!


Continuava presa aquele sentimento que nutria por quem não devia, que não conseguia sequer controlar, tinha alguém que a amava mas por quem não sentia o mesmo, por mais que tentasse, foram feitos apenas para amigos provavelmente; mas o pior ainda estava para vir. Chegou aos ouvidos de Isabel que a namorada de Pedro tinha andado a fazer perguntas sobre si às amigas comuns dela e de Pedro. Achou aquela situação muito estranha, não gostava dessas coisas, preferia que lhe perguntassem directamente do que andarem a usar os seus amigos como intermediários. Além disso, essa descoberta só veio reforçar a primeira impressão que tinha tido de Verónica... que não tinha sido boa.



Mensagens populares deste blogue

Personalidade Fraca ou Simplesmente Falta dela

Educação vs Formação

Pensamento Hipotético (1)